Elis
Andreia Horta como Elis Regina, na minissérie “Elis: Viver é melhor que sonhar” (Imagem: Divulgação / Globo)

Durou pouco a boa fase de audiência das novelas da Globo, neste início de ano. Na quarta-feira (9), apenas “O Sétimo Guardião” manteve seu patamar – embora com redução nos índices –, garantindo o melhor número da emissora ao longo de todo o dia. Já a minissérie “Elis: Viver é Melhor Que Sonhar” – editada a partir de um longa-metragem – manteve os números da estreia.

Os momentos finais de “Belíssima” (2005), atual cartaz do “Vale a Pena Ver de Novo”, atingiram 13,8 pontos – mesmo índice de segunda-feira (7), aquém dos 14,8 de terça-feira (8). Na sequência, “Malhação: Vidas Brasileiras” alcançou 14,4 de média – acima dos 13,7 de segunda; abaixo dos 15,2 de terça.

Problemática produção das 18h, “Espelho da Vida” anotou 15,8 pontos. Anteontem, a trama de Elizabeth Jhin obteve 15,0; ontem, foram 16,8. Já “O Tempo Não Para”, também em seus últimos capítulos, assegurou 20,2 de média. O folhetim de Mário Teixeira chegou a 21,8 na segunda e 23,1 na terça.

Em melhor situação está “O Sétimo Guardião”, que arrebatou 27,6 pontos nesta quarta-feira. A novela de Aguinaldo Silva marcou 27,9 no primeiro dia útil da semana; no dia seguinte, foi a 28,1. Logo após, “Elis: Viver é melhor que senhor” consolidou 19,1 de média – na terça-feira, 19,3; “10 Segundos Para Vencer” cravou 11,7 pontos – na terça-feira 12,6.

Alcides Nogueira entrega nova sinopse de novela à Globo

Fora do ar desde março do ano passado, quando concluiu “Tempo de Amar”, Alcides Nogueira já prepara sua volta. O autor, segundo informações da jornalista Cristina Padiglione, deverá entregar uma sinopse à Globo no final de janeiro. O texto não tem faixa definida, mas Alcides – em meio aos boatos de “promoção” para a faixa das 21h – pretende manter-se às 18h.

Quanto à faixa da próxima empreitada de Alcides Nogueira cabe lembrar que às 18h, após “Espelho da Vida”, a Globo contará com “Órfãos da Terra”, de Duca Rachid e Thelma Guedes; “Nos Tempos do Imperador”, de Alessandro Marson e Thereza Falcão; e “Éramos Seis”, de Angela Chaves. Em “compasso de espera” está “O Arroz de Palma”, protelada desde 2017 – escrita por Bruno Luperi e Edmara Barbosa, sob supervisão de Benedito Ruy Barbosa.

Já o horário das 21h, terá, na sequência de “O Sétimo Guardião”, “Dias Felizes”, de Walcyr Carrasco; “Troia”, de Manuela Dias; e “Em Seu Lugar”, de Licia Manzo. A escalação de Alcides Nogueira para a faixa “mais nobre” da casa vem sendo cogitada há tempos, bem como a de Maria Helena Nascimento, responsável pela bem-sucedida “Rock Story” (2016). Ainda, o remake de “Pantanal” (1990), folhetim de Benedito Ruy Barbosa, exibido, com êxito, na extinta Manchete.

 

Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Esta opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!