Pabllo Vittar faz live LGBT e drag queen é alvo de linchamento virtual

Pabllo Vittar
Pabllo Vittar se apresentou com Aretuza Lovi (Imagem: Reprodução / YouTube)

Pabllo Vittar foi responsável pela primeira live LGBTQ+ do período de quarentena e contou com a participação de vários amigos, em uma homenagem à maior Parada Gay do Brasil, a de São Paulo, que foi cancelada por conta da pandemia.

Na ocasião, ela dividiu o cenário virtual com artistas do meio, mas nem todos agradaram o público que acompanhava a transmissão. Além de Mateus Carrilho, Pepita e Urias, se apresentou também Aretuza Lovi, que foi bastante criticada.

Inicialmente, as críticas limitavam-se à sua performance musical, que não serviu a maioria das pessoas, mas depois, os ataques passaram a ser intensificados, tornando-se um verdadeiro linchamento virtual contra a sua carreira.

Com um visual diferenciado, ela surgiu morena, cantando músicas como Catuaba, Movimento e Geladinho, e as opiniões foram as mais diversas. “A Aretuza cantando é igual a um pato engasgado”, disparou um internauta.

“Se eu fosse a Aretuza eu fingia um desmaio e saia dessa live. TUDO tá ruim meu pai amado”, comentou outra pessoa. “Aretuza assume a live e despenca as visualizações”, alertou mais uma. “Pabllo Vittar enfia Aretuza na nossa goela, essa é a verdade”, desaprovou uma quarta.

“Ai Pabllo eu te amo pra caralho mas hoje eu não tava com paciência pra live, ainda mais com a Aretuza no meio”, escreveu ainda outra.

Confira a repercussão:

Publicitário e Jornalista de Celebridades, Lucas Medeiros compartilha todos os dias o cotidiano dos famosos de maneira leve, original e divertida. Acompanhe tudo clicando aqui!

WordPress Lightbox