Passeando pela programação, Geraldo Luís vira “faz tudo” da Record

Geraldo Luís
Geraldo Luís virou tapa-buraco na programação da Record (Imagem: Reprodução / Record)

Se existe algo que Geraldo Luís não tem na Record é preguiça. O apresentador já rodou por vários horários da emissora em atrações que o levaram do céu ao inferno – sem nenhum tipo de piadinha – em termos de audiência. Cabe aqui lembrar do apelido que virou personagem no Zorra Total, da Globo, o porteiro que era sempre chamado para fazer algumas pontas em atrações de TV: Severino (Paulo Silvino).

O apresentador da Record, que estreou na emissora no comando do Balanço Geral São Paulo, programa que o consagrou, chegou a dar as caras em uma atração pouco lembrada das tardes: Geraldo Brasil. Fiasco de público, o formato saiu da cena e o âncora retornou ao Balanço Geral só para São Paulo.

Após algum tempo, a Record decidiu desempoeirar o título Domingo Show, utilizado no final dos anos 1990 por Gilberto Barros aos domingos, dando a Geraldo Luís uma atração dominical. Sucesso de audiência – mas não de faturamento -, o Domingo Show mostrou que tinha fôlego pra peitar tanto o SBT quanto a Globo.

Geraldo se pôs em primeiro lugar no rankings das emissoras de TV abertas e se perfez por muito tempo. O sucesso foi tanto que as grandes reportagens do programa ganharam uma versão às sextas-feiras para competir com o Globo Repórter. Embora a audiência tenha respondido bem, o programa acabou saindo do ar.

O contador de histórias, como o jornalista se auto-intitula, no entanto, viu os índices dominicais atrofiarem e sentiu o Domingo Legal, do SBT, encostar em seu calcanhar. No auge, Geraldo chegou a reclamar da edição de uma matéria que fora “recortada” de maneira que o desagradou. Acabou substituído por Luiz Bacci, que sobreviveu cerca de um mês na apresentação. Após a “quarentena do castigo”, Geraldo retornou à TV como se nada tivesse acontecido.

Para cortar custos, o Domingo Show perdeu metade do seu tempo de arte. Das quatro horas que ficava no ar, passou a ter duas, apenas. Se antes começava às 11 horas, passou a dar os primeiros passos por volta das 14 horas. Neste momento, Celso Portiolli já vinha engrenado, com a vice-liderança nas mãos.

O mesmo Domingo Legal que sofria com o Mundo Disney, atrapalhando a decolagem da audiência contra o Domingo Show, viu seu concorrente sofrer do mesmo mal. Sem os desenhos do SBT às 11 horas, Portiolli pôs fogo na disputa e jogou Geraldo para a terceira colocação.

Diante da disputa acirrada, a Record resolveu reformular a atração. O programa, que vinha passando por uma difícil fase na audiência, teve cenário e formato modificado. Ganhou, ainda, mais 45 minutos. Todo o investimento não resultou em audiência e Geraldo Luís acabou perdendo seu programa de domingo para Sabrina Sato, que manteve o mesmo nome.

Ele retornou então ao Balanço Geral de São Paulo com a saída de Reinaldo Gottino, que deixou a Record rumo à CNN Brasil. No comando do noticiário, Geraldo mostrou que o formato é sua identidade. Mas o apresentador não durou muito no comando do telejornal diário. Com a volta de Gottino para a Record, Geraldo Luís saiu de cena para que o jornalista assumisse o antigo posto.

Agora, segue com novo projetos na emissora, só não se sabe quando a Record vai gritar, de novo: “Severino!“. Vale destacar que, dizem, Silvio Santos o tem na mira para o novo Aqui Agora. Será que Geraldo vai para o SBT dançar na grade, também?

CONTINUE LENDO →

Reuber Diirr é formado em jornalismo pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Com passagens pela Record News ES e TV Gazeta (Globo/ES), é apaixonado por televisão e acompanha as coletivas de imprensa com matérias exclusivas em vídeos com os artistas para o RD1. Além disso, produz conteúdo multimídia com as principais informações dos famosos para o Instagram, Twitter, Facebook e Youtube do RD1. Acompanhe os eventos com famosos clique aqui!