Pedro Bial nega post sobre ser “seu autor preferido” e toma atitude

Pedro Bial
Pedro Bial tomou atitude contra empresa de curso após polêmica (Imagem: Reprodução / Globo)

Pedro Bial decidiu colocar um ponto final no seu contrato com a plataforma Curseria, para qual gravou material utilizado em cursos online desde 2019. A atitude foi tomada depois que a empresa fez uma postagem para anunciar um curso de redação com o jornalista.

O relato compartilhado pela plataforma de cursos apontava que o apresentador do Conversa com Bial, da Globo, se considerava “o seu autor favorito”. Muitos internautas, então, criticaram a postura do famoso.

À coluna de Patrícia Kogut, do jornal O Globo, Pedro Bial reagiu com tristeza ao ver a publicação da Curseria.

“É inacreditável. Eu nunca diria algo assim. Construí uma vida toda de respeito às palavras e à literatura para ser atingido nesse meu ponto central: no meu amor pela palavra, pela literatura, pelos grandes autores”, declarou ele.

Em nota, divulgada nas redes sociais, a empresa garantiu que a postagem não foi escrita e nem aprovada pelo apresentador da Globo antes da publicação.

“A peça, criada e postada por nós, não representa a forma como Pedro Bial vê a própria escrita ou a de outros autores e já foi suspensa e excluída da campanha”, garantiu a plataforma, no comunicado.

Pedro Bial escreve sobre Marília Mendonça

Falando nos textos do apresentador, no último domingo (7), ele fez uma homenagem para Marília Mendonça, que morreu vítima de um acidente aéreo. No Fantástico, o jornalista escreveu e narrou uma crônica.

Nela, o famoso se pergunta “por que tão rápido?” e “Como termina essa canção, interrompida pelo estrondo de silêncio?” incorporando o sentimento de incompreensão que tomou o Brasil com a notícia da morte da cantora.

“Hoje, a gente olha pro céu e clama, ‘pra que tanta pressa? ‘; e reclama, cambaleante, sem o chão de tua voz. Marília, por que tanta pressa? Por que tão rápido? Você ainda tinha tanta história pra viver e ouvir e depois em versos nos contar, tanto canto a doar”, iniciou Bial.

O apresentador seguiu: “Por que tão rápido, pra que a pressa? Que versos você escreveria pra explicar isso? Como termina essa canção, interrompida pelo estrondo de silêncio? Que música é essa em descompasso e desafino, onde dó é só padecimento?“.

“Como toda história, uma canção tem começo, meio e fim. E alguém já disse que toda canção começa buscando um meio de chegar ao fim. A canção de sua vida parece foi interrompida antes de encontrar o meio. É tão anti-natural, chegar ao fim, sem nem acabar de começar. Arrancaram a flor, ficou seu sonoro perfume a consolar um jardim entristecido”, continuou.

“Pois, agora, você que falava das coisas fugidias da vida, essas coisas de amores e dores, encontros e adeuses, você que libertava as palavras, deixando que voassem passarinhas pra nos consolar e pra que a gente as acolhesse no ninho de nossas solidões; agora, Marília, seus versos se aquietaram, imóveis, como mão de mãe, suave, sobre cabeça de menino, pousados sobre nossa memória“, completou.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›