Pocah chora ao lembrar episódio de preconceito que viveu na infância

Pocah
Pocah lembrou do episódio de preconceito que viveu na infância (Imagem: Divulgação/ SBT)

Pocah não conseguiu segurar a emoção ao comentar sobre as dificuldades que enfrentou na infância. Durante a sua participação no programa de Eliana, do SBT, neste domingo (27), a funkeiro lembrou tudo que ela e sua família enfrentavam morando em uma casa pequena com quase dez pessoas.

“Era todo mundo em uma casa só, a gente não tinha banheiro, Eliana. Eu ainda não consegui realizar todos os sonhos da minha família, mas estou lutando muito. Eu comecei muito nova a minha carreira, gravei minha primeira música aos 15 anos e aos 16 anos comecei a rodar o Brasil inteiro fazendo show”, afirmou a artista.

A ex-BBB seguiu: “Sendo sincera, não fiquei bem de vida. Sofri muita coisa, já me passaram muito a perna, já fui muito enganada. […] Tem muita coisa que eu quero proporcionar para eles. Quero dar uma casa para o meu pai”.

Pocah ainda contou que acabou passando por problemas após confiar em algumas pessoas. Ela também relembrou um episódio de preconceito que sofreu em uma loja de grife no início da carreira:

“Eu realmente fiquei muito triste, foi um desaforo mesmo. Eu fui mal recebida. Primeiro não me atenderam, foi bem triste. Só que, nessa época eu enxergava as coisas diferentes, eu não enxerguei que isso foi realmente um preconceito, desrespeito total comigo. Eu era novinha, tinha 18 anos e eu simplesmente paguei à vista, depois minha mãe brigou muito comigo (risos). Foi um momento delicado, me faz mal. Preconceito comigo ou com qualquer pessoa eu não tolero”.

Ainda no programa, a funkeira falou qual foi a sua reação ao saber dos ataques racistas que sua filha Vitória, de cinco anos, sofreu enquanto estava no BBB 2021. Ela, inclusive, agradeceu à Eliana pelo apoio da apresentadora na época.

“Ter tido o seu apoio para mim foi muito importante, passei por um momento que eu não desejo a ninguém. Eu me preparei para muita coisa, mas nenhuma mãe se prepara alguém atacar um filho. […] Quando eu saí e tive que receber essa informação, meu mundo caiu, eu passei mal, tive um ataque de pânico terrível, fiquei descontrolada”, desabafou.

Ela completou: “Estou lutando, já combatia, lutava junto, já sofri muito com isso e hoje eu tenho um motivo a mais para lutar. Quando era comigo doía muito, mas agora é meu sangue, é minha filha. Não vou me calar, nunca. A galera perde muito a noção, acha que na internet pode se esconder atrás de perfil falso, só que eu estou tomando todas as medidas cabíveis e isso não vai ficar impune. As pessoas precisam pagar por isso”.

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email [email protected]
Veja mais ›