Sindicato diz que Record Rio não apresenta condições adequadas de trabalho; canal rebate

Record
Desabamento em prédio da Record, no Rio de Janeiro, deixa funcionário ferido; Sindicato vai até a sede e vê má condição de trabalho (Imagens: Reprodução / Metrópoles – Record)

Atualizado às 17h44 

O Sindicato dos Jornalistas foi até a sede da Record no Rio de Janeiro para vistoriar as condições de trabalho dos funcionários, após o desabamento de parte do teto da redação da emissora. Os representantes não gostaram do que viram.

Os diretores Nando Neves e Virginia Berriel estiveram no local e notaram a interdição da redação e do estúdio do departamento. Os funcionários foram realocados para duas salas, segundo eles, improvisadas.

A dupla afirmou que a Record não disponibilizou um local de trabalho adequado para os jornalistas após o acidente, que ocorreu no último dia 16.

“Os jornalistas foram alocados em outras duas salas improvisadas e, evidentemente, sem as condições adequadas ao trabalho. O espaço não é grande, o que faz com que a equipe trabalhe com uns próximos aos outros”, informaram em nota.

O Sindicato também cobrou a cópia da CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) do empregado que se feriu e foi submetido à cirurgia, Alex Cunha. O diretor do Jurídico, Ricardo, informou que a comunicação foi aberta pelo RH de São Paulo, já que o jornalista é contratado da Record São Paulo.

Confira a nota do Sindicato dos Jornalistas na íntegra:

“Representado pelos diretores Virginia Berriel e Nando Neves, o Sindicato visitou a TV Record na quinta-feira, 22/4, para checar as condições de trabalho, saúde e segurança dos jornalistas, em razão da queda do teto da redação e do estúdio ocorrida na semana passada.

No local, os dirigentes sindicais foram recebidos pelo diretor jurídico e pelo diretor de Jornalismo, Luiz Piratininga.

Com a redação e o estúdio interditados e sem previsão para recuperação, os jornalistas foram alocados em outras duas salas improvisadas e, evidentemente, sem as condições adequadas ao trabalho. O espaço não é grande, o que faz com que a equipe trabalhe com uns próximos aos outros. A transmissão dos telejornais está sendo feita do Estúdio Glass, um espaço mais amplo onde também é feita a transmissão de outros programas.

Durante a visita, o Sindicato cobrou a cópia da CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho), do empregado que se feriu e foi submetido à cirurgia, Alex Cunha. O diretor do Jurídico, Ricardo, informou que a CAT foi aberta pelo RH de São Paulo, já que o jornalista é contratado da Record SP. Ainda assim, o Sindicato manteve a cobrança, lembrando que o acidente ocorreu no Rio.

Virginia e Nando conversaram com os jornalistas, informando o motivo da visita e colocando o Sindicato à disposição para acompanhar os desdobramentos do acidente. Os diretores do Sindicato aproveitaram para convidar os jornalistas, sindicalizados ou não, a participarem da plenária unificada que acontecerá na terça, dia 27/04, para discutir os rumos da Campanha Salarial 2021. A plenária será virtual, pela plataforma Zoom, às 13h.”

Outro Lado

Em contato com o RD1, a Record emitiu o seguinte comunicado:

“A Record Rio comunica que sempre cumpriu e cumprirá todos os protocolos de segurança referentes ao combate da COVID-19. A emissora reforça que todos os colaboradores estão em locais adequados de trabalho. Inclusive, isso foi motivo de elogio do sindicato durante a visita nesta quinta-feira, 22, quase uma semana após o ocorrido. Virgínia Berriel e Nando Neves, representando o sindicato, elogiaram toda estrutura montada para os jornalistas na redação e estúdio.

A emissora reforça que os funcionários citados estão recebendo toda assistência necessária e que quando do ocorrido foram cumpridas todas as exigências legais.

Além disso, o jornalismo montou um planejamento específico para diminuir o fluxo de pessoas dentro da empresa.

A Record Rio lamenta o posicionamento público do sindicato dos jornalistas, uma vez que a visita foi feita somente uma semana depois do ocorrido, e com citações inverídicas sobre as condições de trabalho de todos os colaboradores.”

Paulo CarvalhoPaulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›