Tatá Werneck é vacinada contra a Covid-19 e fala sobre importância da imunização completa

Tatá Werneck
Tatá Werneck recebeu a primeira dose da vacina contra Covid-19 (Imagem: Reprodução / Instagram)

Super consciente quando se trata de pandemia da Covid-19, Tatá Werneck, que seguiu e segue as recomendações para evitar o contágio do vírus, se vacinou contra a doença.

Apesar de não ter postado um registro do momento, a apresentadora contou a novidade no Twitter: “Tomei minha primeira dose. Não levei celular”.

Incentivando as pessoas a se vacinarem a artista completou: “Mas não poderia deixar de compartilhar e dizer que é fundamental vacinar as duas doses e continuar mantendo os cuidados para que logo possamos logo voltar”.

Nos comentários, os seguidores reagiram. “Coisa boa. Amém, Tatá“, disse um internauta. “Que bom, meu amor”, comemorou outra. “Que dia! Viva a ciência“, celebrou mais uma.

Recentemente, Tatá Werneck, que sempre frisa a importância dos cuidados contra o coronavírus, revelou que deixou de ser amiga de pessoas que não respeitam a seriedade do assunto.

“De muita gente. Na pandemia, o comportamento diz muito sobre a pessoa, o quanto a pessoa é empática pela dor do outro, o quanto ela é egoísta“, pontuou a famosa.

Na mesma semana, a apresentadora do Lady Night contou que sonha diariamente com o amigo Paulo Gustavo, que morreu no dia 4 de maio, vítima da Covid-19:

“Eu tenho sonhado com o Paulo praticamente todas as noites. Para mim, uma noite estranha é uma noite que não sonho com ele. Eu sempre rezo para ele vir falar comigo de noite. Ele faz muita falta, né gente? Muita falta, cara***. Muita falta”.

Por falar no amigo, Tatá contou que após a morte do ator ela perdeu 40 kg. Em um desabafo, a artista contou chegou a receber elogios por estar magra, quando, na verdade, estava deprimida.

“Eu consegui ganhar dois quilos, graças a Deus. Cada um tem uma história (…), eu, quando estou triste, não fico com fome. Isso é algo antigo. Quando eu tinha uns 12 anos, eu fiquei um ano internada com desidratação. Quando o Paulo morreu eu cheguei a 40 quilos. Eu fiz vários exames para ver se era só emocional e era só emocional mesmo“, revelou.

Carol Bittencourt
Caroline Bittencourt é jornalista, pós-graduada em Comunicação e Design Digital. Atua como redatora e produtora de conteúdo para redes sociais. Está nas redes sociais no @bittencourt.caroline.
Veja mais ›