Totalmente Demais e Fina Estampa batem recorde de média semanal

Fina Estampa
Marina Ruy Barbosa (Eliza) em Totalmente Demais; Lilia Cabral (Griselda) em Fina Estampa: edições especiais batem recorde de média semanal (Imagens: Reprodução / Globo)

A Globo acertou em cheio com as “edições especiais” de Totalmente Demais (2015) e Fina Estampa (2011). As novelas que ocupam as vagas de Salve-se Quem Puder e Amor de Mãe às 19h e às 21h – por conta da paralisação dos trabalhos nos estúdios da emissora, como medida de precaução contra a covid-19 – bateram recorde de média semanal entre 20 e 25 de abril. Os dados de audiência são referentes a Grande São Paulo.

Totalmente Demais cravou 28,9 pontos ante 28,7 da semana de 13 e 18 de abril. Os 24 primeiros capítulos acumularam 27,7 de média – ligeiramente abaixo de ‘Salve-se’, com 27,8. Com os mesmos 24, a exibição original alcançou 23,3 pontos. Em cena, a disputa pelo concurso Garota Totalmente Demais, que implicou na mudança de Eliza (Marina Ruy Barbosa) para a casa de seu mentor, Arthur (Fábio Assunção).

Fina Estampa emplacou 35,1 pontos com as sequências de Griselda (Lilia Cabral) celebrando o prêmio da loteria, frente 34,4 de 13 a 18 de abril. Os 30 primeiros capítulos amealharam 34,1 – bem acima dos 28,2 de média anotados por Amor de Mãe. ‘Fina’ ostenta o melhor desempenho da faixa desde os 36,1 de Avenida Brasil (2012) considerando o mesmo período; a exibição original atingiu 38 pontos.

As outras tramas em exibição na Globo caíram entre 20 e 24, ou 25, de abril. Avenida Brasil (2012) em Vale a Pena Ver de Novo foi de 26,2 de média para 25,2. Com um capítulo a menos – por conta do plantão sobre o noticiário político envolvendo Jair Bolsonaro e Sérgio Moro, na sexta-feira (24) –, Malhação – Viva a Diferença (2017) saiu de 20,7 para 19,6. E Novo Mundo (2017) desceu de 19,6 para 18,9.

No SBT, as importadas Meu Coração é Teu e Betty, A Feia em NY cresceram: a primeira de 6,7 para 8; a segunda de 6 para 6,8 – ambas com recorde de média semanal. Os dois títulos foram exibidos mais tarde, por conta da volta de O Que a Vida me Roubou à grade; o folhetim estrelado por Angelique Boyer marcou 5,5 entre 20 e 24 de abril. As Aventuras de Poliana foi de 8,4 para 8,6 pontos; Cúmplices de um Resgate (2015) caiu de 6,5 para 6,4.

Na Record, Apocalipse (2017) fez desabar a audiência da faixa de Amor Sem Igual: 5,9 para os quatro primeiros capítulos da reprise contra 8,3 da novela inédita, interrompida na segunda-feira (20) – também por conta da pandemia de coronavírus. Os outros repetecos também caíram… A Escrava Isaura (2004) foi de 7,4 pontos para 7. Caminhos do Coração (2007), mesmo em reta final, saiu de 5 para 4,7. E Jesus (2018) desceu de 5,6 para 5,2.

Duh Secco
Duh Secco é  "telemaníaco" desde criancinha. Em 2014, criou o blog Vivo no Viva, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.
Veja mais ›