17 anos depois, Marcos Pasquim ainda sonha com Kubanacan no Vale a Pena Ver de Novo

Marcos Pasquim
O ator Marcos Pasquim, que curte férias da TV no momento (Imagem: Divulgação / Globo)

As escolhas de novelas que consolidaram o Vale a Pena Ver de Novo por 40 anos na programação da Globo reservam muitas curiosidades, entre elas tramas de sucesso que nunca foram reprisadas na faixa, como Sol de Verão (1982), Corpo a Corpo (1984), Hipertensão (1986), O Outro (1987), Mandala (1987), Explode Coração (1995) e América (2005).

Alguns outros títulos dividem a opinião do público. É o caso de Kubanacan (2003). A novela foi citada por Marcos Pasquim ao ser questionado pelo RD1 sobre qual atração gostaria de rever nas tardes da Globo. O ator foi o protagonista da trama escrita por Carlos Lombardi e dirigida por Wolf Maya.

“Gostaria de rever Kubanacan. É uma novela divertida, rápida, inteligente. Fez bastante sucesso na época, até hoje muita gente diz que é fã dessa novela e diz que gostaria de revê-la. Eu também gostaria“, respondeu Pasquim.

Kubanacan, de fato, figura há muitos anos entre as novelas mais pedidas pelos telespectadores do Vale a Pena Ver de Novo. A trama se tornou um clássico das 19h ao satirizar os problemas sociais do Brasil por meio de um pequeno país fictício que levava o nome da trama – apesar da crítica à “república das bananas”, as locações eram inspiradas nas arquiteturas de Cuba.

O personagem de Marcos Pasquim, Esteban, o homem sem memória que acaba virando herói, foi inspirado no filme americano A Identidade Bourne (2002). Danielle Winits, Adriana Esteves, Vladimir Brichta, Carolina Ferraz, Betty Lago, Werner Schünemann, Nair Bello, entre outros, também estavam no elenco, que contou com várias participações especiais, como as de Stênio Garcia, Gabriela e Regina Duarte, Letícia Spiller e Giselle Itié.

Embora tenha encerrado os seus 227 capítulos com bons índices, o folhetim enfrentou dificuldades no roteiro, o que culminou no afastamento do ator Humberto Martins e também na oscilação da audiência – a novela chegou a ter médias semanais de 38 pontos nas primeiras semanas e chegou a perder um terço do seu público em seus últimos meses de exibição. A média geral foi de 36 pontos.

Marcos Pasquim
Carolina Ferraz, Marcos Pasquim e Adriana Esteves em cena de Kubanacan (Imagem: Divulgação / Globo)
CONTINUE LENDO →

Daniel Ribeiro cobre televisão desde 2010. No RD1, ao longo de três passagens, já foi repórter e colunista. Especializado em fotografia, retorna ao site para assinar uma coluna que virou referência enquanto esteve à frente, a Curto-Circuito. Pode ser encontrado no Twitter através do @danielmiede ou no danielribeiro@rd1.com.br.