Com Fina Estampa, Globo promove a volta de autor, diretor e atores demitidos

Aguinaldo Silva
Wolf Maya e Aguinaldo Silva na festa de lançamento de Fina Estampa, em 2011 (Imagem: Reprodução / Extra)

Escalada para suprir a falta de capítulos inéditos de Amor de Mãe, que teve suas gravações suspensas nesta semana como medida de contenção contra o coronavírus, Fina Estampa vai trazer de volta ao horário nobre não apenas o Pereirão (Lília Cabral), Tereza Cristina (Christiane Torloni) e o Crô (Marcelo Serrado), como aparece nas chamadas, mas também talentos hoje considerados indesejáveis na Globo.

A começar pelo criador da trama, Aguinaldo Silva, que ao ser demitido pela emissora há apenas 3 meses teve os seus 40 anos de serviços prestados à dramaturgia resumidos em uma notinha curta divulgada pelo canal. Ao contrário do que disse a Globo em 3 de janeiro, o autor deixou a empresa com vários projetos em aberto, entre eles a sinopse de uma novela das 21h e duas séries que ofereceu para supervisionar.

Wolf Maya também viu seu nome cair em desprestígio logo após dirigir a novela de Aguinaldo Silva. O diretor foi demitido em 2017, quando o seu contrato chegou ao fim, mas já estava há 4 anos sem projetos na Globo – o último havia sido a direção de núcleo de Amor à Vida (2013), também às 21h. Depois de mais de 35 anos de parceria, Wolf ouviu dos executivos da emissora que poderia ser chamado para dirigir novelas e séries futuras, na condição de contratado por obra, mas isso acabou não acontecendo.

Na reprise de Fina Estampa, que chegará à programação da Globo na próxima segunda-feira (23), o diretor não estará presente apenas nos créditos da trama, já que também encarnou um personagem na história: o Álvaro, aquele do núcleo hippie que aplaudia o Sol ao lado de Zambeze (Totia Meirelles).

José Mayer
José Mayer volta a aparecer no horário nobre da Globo (Imagem: Divulgação / Globo)

A volta do folhetim também trará de volta ao horário nobre a figura problemática de José Mayer. O intérprete do Pereirinha foi demitido pela Globo no final de 2019, dois anos depois de enfrentar uma acusação de assédio feita pela figurinista Su Tonani, o que lhe rendeu, a princípio, uma punição da emissora, e gerou campanhas contra o machismo dentro e fora dos muros dos Estúdios Globo.

Após a polêmica, a presença do ator foi dúvida até mesmo nas exibições do Vale a Pena Ver de Novo. Há um ano, ele também foi impedido de atuar em O Sétimo Guardião para “evitar o desgaste”. Agora, involuntariamente, o ator terá a chance de voltar às novelas por meio de personagem que, certamente, ninguém pensaria em oferecer a Mayer nos dias atuais: o de ex-marido machista de Griselda que chega a agredir Tereza Cristina.

Fina Estampa também resgatará outros atores demitidos – esses sem maiores traumas -,que se tornaram destaques em produções de outras emissoras, como Dalton Vigh, Milena Toscano e Guilherme Boury, no ar em As Aventuras de Poliana, além de Dudu Azevedo, Marco Pigossi, Juliana Knust, Eri Johnson, entre outros.

CONTINUE LENDO →

Daniel Ribeiro cobre televisão desde 2010. No RD1, ao longo de três passagens, já foi repórter e colunista. Especializado em fotografia, retorna ao site para assinar uma coluna que virou referência enquanto esteve à frente, a Curto-Circuito. Pode ser encontrado no Twitter através do @danielmiede ou no danielribeiro@rd1.com.br.