Alessandra Scatena fala sobre a perda do marido e retomada dos projetos

Alessandra Scatena
Alessandra Scatena fala sobre planos para o futuro, após perder o marido para a Covid-19 (Imagem: Reprodução / RedeTV!)

Três meses após perder o marido, Rogério Gherbali, Alessandra Scatena ainda se recupera de uma crise na coluna que surgiu logo após a partida do amado para a Covid-19. Depois de ter iniciado o tratamento há algumas semanas, ela finalmente pôde retomar às atividades como apresentadora da RedeTV!.

Ainda dependo da sogra, da irmã, do irmão e de muita gente para fazer as coisas em casa. Fiquei mais de 15 dias afastada porque não conseguia me levantar. Eu vivia deitada, tomei muitos remédios, muitos anti-inflamatórios, até morfina em comprimido. Agora já me sinto melhor“, disse ela em entrevista ao site de Patrícia Kogut.

A famosa contou ainda que a dura perda que sofreu a fez se tornar mais resiliente: “Passei por tanta coisa este ano. A vida da gente dá uma reviravolta de uma hora para a outra. E a gente acaba tendo que mudar o comportamento, o dia a dia. O trabalho foi um presente de Deus. Estava há mais de dez anos fora da mídia. Quando tive o Stefano, fui só mãe, dona de casa. E voltar para a TV foi maravilhoso para a minha cabeça. Mas tenho vivido um dia de cada vez, sem fazer planos. Conforme o tempo passar, vamos ver como passa a dor física e a do coração“.

Alessandra, que atua como madrinha de diversos projetos sociais em São Paulo, não vê a hora de voltar à rotina das ONGs. “É uma coisa que me faz muito bem, me realiza ter contato com o mundo real, ajudar uma comunidade, um asilo, uma creche. É revigorante fazer o bem. Dói ver as desigualdades e as dificuldades, mas a gente não pode deixar a dor tomar conta. Temos que criar forças e arregaçar as mangas“, garantiu.

A famosa afirmou que, depois de ter ficado viúva, recebeu muito apoio, especialmente de mulheres, via rede social: “Vejo quantas pessoas estão passando pela mesma dor que eu. Mesmo aquelas que não passaram por isso, e espero que não passem. A força que elas dão é tão bonita. Meu público é 80% formado por mulheres. Elas me incentivam a seguir, deixam mensagens de carinho. Eu respondo que a fé em Deus me ajuda muito. É Ele que me coloca no colo e me ajuda a continuar a caminhada. Quando saio na rua para ir a algum médico também ouço muitas mensagens de apoio. A morte dele é triste. Eu nem imaginava que ia acontecer isso comigo. Doía ver meus filhos perdendo o pai“.

Elson BarbosaElson Barbosa
Jornalista, especialista em Comunicação Organizacional, apaixonado por café, crônicas e um bom papo. Encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo.
Veja mais ›