Alexandre Nero desabafa sobre clima péssimo nos bastidores de Nos Tempos do Imperador

Alexandre Nero
Alexandre Nero fala sobre clima nas gravações de Nos Tempos do Imperador (Imagem: Reprodução / Globo)

Alexandre Nero foi um dos convidados da edição de sexta-feira (20) do Conversa com Bial. Durante o bate-papo, o ator desabafou sobre as gravações de Nos Tempos do Imperador, atual trama das seis, que vem sendo produzida nos Estúdios Globo durante a pandemia da Covid-19.

Interpretando o personagem Tonico Rocha, o artista lamentou o clima dos bastidores causado pela crise sanitária. “Essa segregação que o tema da novela impõe também está acontecendo por causa da pandemia. Ninguém tem se relacionado, tá cada um no seu camarim, não tem se encontrado nas festas, pra tomar um chope. Isso tem sido um sofrimento muito grande para mim especialmente porque meu personagem fala barbaridades para as pessoas, o que é terrível. Eu adoro desde que, depois, abrace e beije as pessoas que xinguei, e eu não posso”, contou.

Em seguida, Nero ainda criticou a falta da oportunidade de “ajustar” o personagem à reação do público, já que a trama já está com as gravações bastante adiantadas – a ideia da emissora era que ela fosse ao ar com os capítulos todos prontos.

“Tem essa coisa da relação com o público, que é uma das coisas mais gostosas de fazer novela. Essa resposta do público. Você vai moldando, você vai azeitando o personagem conforme você vai assistindo junto, eu acho isso uma diversão e infelizmente a pandemia nos privou disso.”

Selton Mello, protagonista do folhetim, vivendo Dom Pedro II, também participou do programa e recebeu uma declaração de Nero. “Eu entrei nessa novela e falei, cara, quero ser amigo do Selton. A pandemia não deixou isso. Essa intimidade de vir aqui na minha casa, eu vou na tua. A pandemia não nos deixou ser próximos, que é essa a delicia de fazer novela“, contou.

Durante o bate-papo, Selton contou sobre os seus medos ao gravar a novela das seis, já que ele estava há 20 anos sem participar de folhetins.

“Além de todas essas emoções de pandemia, dá medo. Dá medo voltar a um formato que eu não fazia há muitos anos, insegurança, não sei se eu sei fazer. Ao mesmo tempo é voltar à escola, é onde eu aprendi e eu aprendi fazendo”.

MAIS LIDAS

Elson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›