Ana Carolina propõe reflexão sobre preconceito e respeito no mês do Orgulho LGBTQIA+

Ana Carolina
Ana Carolina se manifesta no mês do Orgulho LGBTQIA+ (Imagem: Reprodução / Globo)

A cantora Ana Carolina publicou uma série de registros marcantes em defesa ao respeito e contra a homofobia, na última sexta-feira (11). A publicação é oportuna para junho, mês do Orgulho LGBTQIA+.

Ela, que costuma manter sua vida pessoal longe dos holofotes, decidiu dividir momentos especiais relacionados à bandeira do movimento, incluindo situações românticas entre casais da comunidade.

Na legenda, fez questão de reforçar ser contra qualquer tipo de desrespeito às pessoas e reafirmou que isso não é uma questão de opinião, uma vez que as pessoas são livres para amar.

Mês do orgulho LGBTQI+ e só reforço o quanto o respeito, igualdade e direitos não são questões de opinião. Somos livres!”, escreveu a artista, recebendo uma onde de apoio de seus fãs.

No final do ano passado, Ana se apresentou diretamente do Cristo Redentor para marcar o Dia Mundial do Coração, como parte da iniciativa da campanha Quem Vê Diabetes Vê Coração, que busca conscientizar sobre a relação do diabetes com as doenças cardiovasculares.

Ana, que é diabética falou acerca da importância da informação sobre o tema.

Não é segredo pra ninguém. Sempre em minha carreira fiz questão de abordar publicamente a doença que descobri aos 16 anos: o diabetes tipo 1, quando nosso organismo produz pouca ou nenhuma insulina. Já dei inúmeras entrevistas, fiz uma turnê inteira dedicada a isso“, disse em entrevista à Veja Rio.

Ela foi questionada sobre o motivo que a leva a falar sobre o tema tão abertamente. “Primeiro, porque ter diabetes não te faz menor do que ninguém. O que nós temos que fazer é só nos cuidar pra ter uma vida legal, porque é muito fácil de controlar quando se tem atenção e amor por você. E como acontece com todas doenças crônicas, não tem caminho melhor pra isso do que a informação“, disse.

Ana Carolina continuou: “Eu me sinto na obrigação de levantar essa bandeira e usar minha influência sempre que possível pra lembrar que hoje são mais de 13 milhões de pessoas no país vivendo com a doença e outras tantas que nem sabem da condição e não se cuidam. Esses, com certeza, são os que correm mais riscos!“.

Confira:

Elson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›