Antonia Fontenelle reage à notícia de indiciamento por crime de preconceito

Antonia Fontenelle
Antonia Fontenelle comentou sobre nova polêmica envolvendo o seu nome (Imagem: Reprodução / Instagram)

Antonia Fontenelle preferiu não fazer longo discurso após a notícia de que havia sido indiciada por crime de preconceito após usar termo “paraibada”. Em seu Instagram, a apresentadora foi sucinta ao comentar o momento.

“O favorzinho para vocês da imprensa, galerinha do baixo clero, não me encham o saco, porque vocês não vão ter devolutiva. Eu só falo do que me interessa e do que é real”, declarou a famosa, que preferiu não responder os sites de notícias após a divulgação do indiciamento.

A atriz ainda declarou nos Stories: “Meus fãs e seguidores, tranquilo, aqui não passa nada. Quando alguém me joga uma batata quente, assando, na minha mão, e ela não é minha, não me pertence, eu devolvo ela em forma de granada. Não me pertence”.

Já no feed da rede social, Antonia Fontenelle mandou uma indireta sobre o assunto. Ela compartilhou uma montagem com vários momentos da sua carreira e desabafou.

“O que essas imagens têm em comum é: A coragem de assumir todas as possiblidades a mim reservadas. Eu acredito muito que vence aquele (a) que tem coragem de se entregar profundamente nos grandes espetáculos da vida. Espero do fundo do meu coração que você acorde sua coragem de fazer acontecer!”, escreveu a famosa.

Ontem, o G1 informou que a dona do canal Na Lata, do YouTube, vai precisar responder na Justiça pelo suposto crime de preconceito. A apresentadora foi indiciada pela Polícia Civil da Paraíba após ser acusada de soltar comentários xenofóbicos sobre o DJ Ivis, que aparece em vídeos agredindo a ex-mulher, Pamela Hollanda.

O inquérito policial aponta que as atitudes de Fontenelle caracterizam manifestações preconceituosas generalizadas, direcionadas a todos os paraibanos.

A publicação ainda ressaltou que, como conclusão das investigações, o delegado Marcelo Antas Falcone entendeu por indiciar a viúva de Marcos Paulo na Lei do Racismo, que prevê pena de reclusão de 1 a 3 anos e multa para o crime de preconceito ou discriminação.

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]
Veja mais ›