Ao vivo, Maju Coutinho dá lição de moral em professor que fez blackface

Maju Coutinho
Maju Coutinho dá lição de moral, ao vivo, em professor que fez blackface (Imagem: Reprodução / Globoplay)

O É de Casa estava fazendo um giro de notícias, especialmente sobre questões raciais e trouxe Maju Coutinho — no comando do Jornal Hoje — para abordar as novidades. A jornalista acabou se irritando com um professor universitário que usou do blackface.

Um “educador” da Santa Casa de São Paulo, que não teve o nome divulgado, virou assunto do programa da Globo e Manoel Soares iniciou a interação: “Antes de você ir embora, Maju, eu queria comentar com você um negócio que me chamou a atenção essa semana. Teve um vídeo de um absurdo, de um professor de Medicina que decidiu explicar para alunos do primeiro ano sobre como falar com pacientes pobres. E tentando assim ser mais didático com os alunos, ele decidiu, para mostrar como é o pobre, colocar uma máscara negra no rosto“.

O tal professor, branco, segurou uma máscara preta no rosto, praticamente satirizando uma pessoa humilde, num trecho exibido ao vivo: “Eu não como não. Eu como comida de macho, de macho. Você tá entendendo?“. O apresentador do É de Casa continuou mostrando seu repúdio: “Maju, ele é um professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo falando com esses alunos do primeiro ano. É obviamente um absurdo, eu fico imaginando, na minha cabeça passa um monte de coisa. Eu tô vendo a sua cara perplexa“.

Maju Coutinho aproveitou o espaço para explicar o que é a máscara blackface e o porquê da atitude ser racista: “Isso aí caracteriza o que a gente chama de blackface, né? As pessoas pensam que é mimimi, mas só para a gente explica… Blackface era uma maneira que se usava especialmente no século 19, quando atores negros eram proibidos de atuar, então se usavam máscaras até para criar esterótipos da raça negra, até ridicularizando“.

A âncora, logo na sequência, deu uma verdadeira lição de moral no professor universitário: “Eu vi que esse professor pediu desculpas e disse que não tava informado sobre isso, então acho que é bom, né? É uma era que tem tecnologia, tem internet, que tem muita coisa à disposição aí pra gente se informar, modificar atitudes. Eu dou a dica do Pequeno Manual Antirracista da nossa colega e amiga Djamila Ribeiro“.

Ajuda bastante, né? Lembrando que a faculdade também repudiou, disse que vai abrir uma investigação interna para entender o uso dessa máscara. Mas não é aceitável, inclusive vindo de um professor“, finalizou Manoel, explicando qual a repercussão do caso na instituição em que ele leciona.

Confira:

Professor universitário fazendo blackface (Imagem: Reprodução / Globo)