Após perder exclusividade da Copa de 2022, motivo da Globo ser “boazinha” é revelado

Globo
Globo libera direitos da Copa do Mundo após acordo com a Fifa (Imagem: Reprodução / Globo)

A Globo negociou com a Fifa a liberação dos direitos exclusivos do digital para a Copa do Catar em 2022. A federação internacional recebeu o sinal verde para a comercialização dos direitos do Mundial com uma plataforma, mas a atitude da TV foi motivada por questões maiores: um acordo fora do campo judicial.

Segundo o UOL Esporte, tudo aconteceu depois do processo da Globo contra a Fifa na Justiça do Rio de Janeiro, no ano passado, em razão da parcela de R$ 90 milhões pelos direitos da Copa do Mundo e dos outros eventos da Fifa.

Em 2021, a TV retirou a ação. Ela ganhou descontos e mais parcelamentos de pagamentos, mas em troca cedeu os direitos de exclusividade no campo da internet. A Globo garantiu os jogos no Globoplay, mas não em redes sociais como Facebook e Twitter.

A LiveMode, a mesma que negociou os direitos de transmissão do Campeonato Paulista, foi contratada para o meio de campo das negociações. Star+, HBO Max, Amazon Prime ou Netflix ganharam uma chance. YouTube, TikTok e Facebook também.

Ainda de acordo com a reportagem, a Fifa não abriu o jogo sobre a negociação com uma ou mais empresas. A entidade não colocou um prazo para a venda dos direitos. A Copa do Mundo, ao contrário dos anos anteriores, foi programada para o final do ano que vem.

Briga feroz

Em agosto do ano passado, Globo e Fifa estavam brigando na Justiça. A Fifa alegou que só soube claramente da questão quando foi procurada para se pronunciar sobre o assunto após pedidos da imprensa. A entidade afirmou que não teve tempo para se preparar para a falta do pagamento milionário.

A federação internacional apontou que o momento delicado por causa da pandemia do novo coronavírus não poderia impedir que contratos acordados não fossem cumpridos.

O valor causador do imbróglio, de US$ 90 milhões, quase R$ 500 milhões de reais, foi decidido em contrato há 9 anos. O acordo completou foi de R$ 600 milhões. O pagamento seria feito em 9 parcelas. O montante milionário foi acordado para os direitos de transmissão dos eventos organizados pela federação internacional entre 2015 e 2022.

MAIS LIDAS

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›