Talita Coling Bruna Marquezine
Talita Coling acusa diretor de filme com Bruna Marquezine (Imagem: Arquivo Pessoal / Divulgação)

Klaus Mitteldorf, diretor do filme “Vou Nadar Até Você”, com Bruna Marquezine, está sendo acusado de assédio sexual pela atriz e produtora Talita Coling, 24 anos, nos bastidores.

Segundo ela, o ato teria acontecido em meados de 2017, quando trabalhou na pós-produção. Na época, o profissional teria tentado beijar a jovem à força no pescoço.

Os dois teriam se conhecido entre 2015 e 2016, no teste para o papel de Ophelia, que ficou com Bruna Marquezine. Foi aí que veio o convite para Talita ficar na pós-produção.

“Para mim seria muito interessante a oportunidade de trabalhar na pós-produção do filme. Tudo aconteceu na produtora dele. Tenho fotos da gente trabalhando juntos”, disse Talita ao UOL.

“Ele sempre elogiava. É desconfortável, mas ok, dá para aguentar. Estava ali, precisando da grana, fazendo meu trabalho. Mas teve esse dia em que ele tentou me beijar”, continuou.

“Fiquei toda babada. Foi o ápice. Falei para mim mesma: ‘Não volto mais’. Saí de lá voada. Tinha um teste, estava nervosa, foi horrível. Entrei no Uber em estado de choque”, prosseguiu.

“Ele babou em meu pescoço, no rosto. Eu não me limpei. Quando cheguei no teste, com cara de pânico, a maquiadora ainda brincou comigo: ‘Ih, estava na pegação'”, afirmou.

“Em pânico, dei um risinho amarelo sem entender ainda o que tinha acontecido”, relatou a atriz. Na época, foi registrado um boletim de ocorrência.

“No processo trabalhista, citei o assédio. Não voltei mais [na produtora], e ele não queria me pagar pelo que eu tinha trabalhado, mas tinha minha rescisão para pagar”, lamentou.

“Ele sumiu, não me respondia nada. Óbvio que eu não ia pisar mais lá depois do que aconteceu”, contou Talita.

“Quando sofremos assédio, é difícil provar. Assim que saí de lá, mandei uma mensagem: ‘Klaus, nunca mais tente me beijar à força’. Ele respondeu: ´Prometo’. Pensei: ‘Vou provar o que ele fez comigo'”, revelou.

Entretanto, a atriz recebeu apenas a rescisão a que tinha direito e não foi indenizada pelo assédio. “O assédio ficou ali e dói. Infelizmente, não conseguimos ser indenizadas por assédio, passa batido”, lamentou.

Após a revelação do assédio, a atriz passou a ser atacada pelos fãs de Bruna Marquezine no Twitter. “Na intenção de defendê-la [Marquezine], eles se põem contra mim”, afirmou.

“Dizem: ‘Está querendo aparecer’, ‘Está usando o nome da Bruna’. Não é isso. Tive que falar no momento certo. Se o filme não tivesse sido lançado, você, como repórter, ia me ouvir? Ninguém sabia do filme, agora ele existe”, garantiu.

“Há dois anos eu não ia falar nada, não tinha uma carreira. Hoje tenho coragem, mais maturidade, mas ainda fico nervosa. Falo com você tremendo”, finalizou a vítima.

Em nota, o advogado do diretor do filme com Bruna Marquezine desmente as informações e afirma que o diretor foi vítima de “crimes praticados por Talita, que são apurados pela Polícia Civil de São Paulo desde agosto de 2017”.

“Nos autos do referido inquérito fica claro que ela, que prestou serviços não relacionados ao filme a Klaus, por curto período, praticou desvios indevidos e praticou extorsão. Klaus é vítima de condutas criminosas praticadas e não o contrário”, garantiu.

“A irresponsável e indigna propagação de mentiras contra Klaus Mitteldorf serão objeto das ações cabíveis”, completou o comunicado.

A assessoria de imprensa do filme informou em nota que a atriz “não foi convidada a fazer nenhum teste para papel no filme. Também nunca trabalhou na produção nem está ligada à obra sob qualquer tipo de vínculo ou contrato”.

🔵Boletim RD1 💥 Notícias dos Famosos