Blogueira faz graves acusações contra Batoré e detalha assédio sexual

Batoré
Batoré é acusado de assédio sexual por blogueira (Imagem: Reprodução / SBT)

A influencer Nathaly, mais conhecida como Blogueira de Baixa Renda, usou sua conta no Twitter para denunciar um assédio sexual que sofreu do humorista Ivanildo Gomes Nogueira, o Batoré, de A Praça É Nossa.

As acusações surgiram após começar a circular na internet um vídeo do artista se posicionando favorável ao fechamento do Supremo Tribunal Federal, da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.

A criadora de conteúdo contou que o ataque teria acontecido em sua primeira experiência cinematográfica. “Você tem 26 anos? Nem parece ter cabelo na b… já”, relatou Nathaly sobre o que o humorista teria dito a ela.

Ele ficou insinuando mil coisas comigo e com quem passava na 25 de março. Nojo!”, sem mencionar contexto. Nathaly disse que abafou o caso porque “não queria que fechassem portas para mim. Burra? Sim!“.

Sobre a outra polêmica envolvendo o famoso, ele seguiu o mesmo caminho de Sérgio Reis e publicou uma gravações onde critica as atitudes do STF.

Nós temos a consciência de que militar não faltava só na presidência, falta no STF, falta na Câmara dos Deputados e no Senado”, disse, aos berros, no início do vídeo.

“O desejo da maioria dos brasileiros é que o presidente feche a porta desses três Casas, porque não tem trazido benefício nenhum para o nosso país, não tem pensado no nosso povo”, continuou.

No vídeo, ele também destacou que Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e Arthur Lira (PP-AL) deveriam estar presos por estarem envolvidos na Lava Jato. E ainda comparou o STF a um laxante. “E o STF, que só fica soltando bandido? Parece lacto purga: toda merda que está presa, solta”, gritou.

Cabe lembrar que Sérgio Reis chegou a convocar uma greve geral dos caminhoneiros e para um ato em Brasília para pressionar os ministros do STF.

Se em 30 dias não tirarem os caras [ministros] nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra. Pronto. É assim que vai ser. E a coisa tá séria”, frisou.

Após a repercussão negativa, ele afirmou que não estava tentando incitar ao crime e que teria sido mal interpretado. Contudo, o cantor não conseguiu escapar das investigações e virou alvo de uma representação criminal assinada por 29 subprocuradores-gerais da República.

Confira:

MAIS LIDAS

Elson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›