Bolsonaro é condenado a indenizar jornalistas após ataques

Bolsonaro
Bolsonaro é condenado pela Justiça por ataques contra a imprensa (Imagem: Reprodução / TV Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) foi condenado pela Justiça a pagar R$ 100 mil por danos morais a jornalistas. No Dia Nacional da Liberdade de Imprensa, a juíza responsável pelo julgamento da Ação Civil Pública entendeu que o presidente praticou assédio moral coletivo.

A ação foi aberta pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo em 2021. No processo, a entidade afirmou que a ação foi pensada em defesa dos direitos e interesses da categoria.

Além disso, da liberdade de imprensa e do direito à informação em virtude dos ataques do presidente à “categoria dos jornalistas profissionais em pronunciamentos e em suas redes sociais, voltando-se ora contra jornalistas determinados, ora contra a categoria como um todo, de forma agressiva, com expressões vulgares, homofóbicas e misóginas”.

Veja Também

O sindicado disponibilizou o relatório feito pela Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas). Em 2020, pelo menos 175 casos de ataques do “capitão” à liberdade de imprensa foram registrados.

“A conduta reiterada do réu tem desencadeado uma série de ataques a profissionais de imprensa por parte de seus apoiadores em todo o país, violando os princípios da dignidade humana, da moralidade e da impessoalidade”, explanou.

Juíza toma decisão desfavorável a Bolsonaro

Em seu entendimento, a juíza Tamara Hochgreb Matos, da 24ª Vara Cível de São Paulo afirmou que “o direito à liberdade de expressão vem sendo utilizado de maneira claramente abusiva pelo réu [Bolsonaro], de forma absolutamente incompatível com a dignidade do cargo que ocupa”.

A magistrada salientou que as ações do presidente foram tomadas “sob a alegação de que essa liberdade lhe outorgaria, enquanto instrumento legal e necessário ao livre exercício da liberdade pessoal do Chefe do Poder Executivo Federal, verdadeiro salvo conduto para expressas as suas opiniões, ofensas e agressões contra quem entender”.

Na decisão, a juíza argumentou que o presidente, em seus pronunciamentos públicos e em redes sociais, de “forma hostil belicosa contra a categoria dos jornalistas profissionais, desprezando-os e desqualificando-os, como categoria e até mesmo como pessoas, visando desmoralizá-los, utilizando-se de termos ofensivos, vulgares e até mesmo ilícitos”.

E apontou que todos “incompatíveis com a urbanidade e maturidade esperada de um Presidente da República, e com os princípios da dignidade humana, da moralidade e da impessoalidade que devem nortear o exercício de tal cargo”.

A magistrada ainda lembrou polêmicas como as frases “A vontade é encher tua boca com uma porrada, tá! Seu safado” e “Você tem uma cara de homossexual terrível. Nem por isso eu te acuso de ser homossexual. Se bem que não é crime ser homossexual”. Bolsonaro foi condenado ao pagamento de R$ 100 mil de indenização ao Fundo Estadual de Defesa dos Direitos Difusos.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›