Carla Diaz chama ex-BBB para a estreia do filme de Suzane e exclui participante

BBB 2021
Carla Diaz durante o BBB 2021 (Imagem: Reprodução / Globo)

Carla Diaz comemorou a estreia dos filmes A Menina que Matou os Pais e O Menino que Matou meus Pais em grande estilo, com a presença de vários ex-BBBs, amigos e o elenco da produção, mas um detalhe chamou atenção.

Os ex-BBBs que foram convidados e marcaram presença foram apenas Camilla de Lucas, Juliette, Pocah e João Luiz, mas os internautas estranharam o fato de Thaís, que era próxima de todos eles, ter sido excluída.

No Twitter, muitas pessoas ironizaram a situação e disseram que esse grupo não tinha nada de amigo no confinamento. Outros ainda criticaram o fato de Juliette ter aceitado ter topado, já que as duas não eram tão próximas assim.

“Carla Diaz nunca foi amiga da Juliette. Não é a toa que saiu por não contar nada. As amizades da Juliette são tudo nível Astrid Fontenelle, tão cagando e andando…. usando como pode pra limpar a barra”, detonou uma pessoa.

“Thais era melhor amiga da Pocah, da Carla, do João e da Camila. Depois grudou na Viih porque viu que não era prioridade de nenhum deles”, lamentou uma fã de Thaís.

No Instagram, ao divulgar as fotos, Carla Diaz disparou: “A recepção tá on!!! Que surpresa mais linda minha equipe fez, com toda segurança, reuniu alguns amigos especiais, o elenco e produção dos filmes para assistirmos juntos”.

“Ameeeeeei, muito obrigada”, completou. Recentemente, a atriz falou sobre o processo de interpretar Suzane von Richthofen, que arquitetou o assassinato dos próprios pais com o namorado e o cunhado.

“Quando eu soube que eu iria fazer [o filme], sabia da responsabilidade de interpretar uma historia real de um dos crimes mais falados do Brasil, um dos mais chocantes e estarrecedores, que ainda gera muita discussão”, contou a famosa ao Splash.

A artista ainda destacou: “Eu sabia que precisaria me distanciar do meu julgamento pessoal em relação ao caso, porque se não, não conseguiria interpretar com veracidade a personagem, ainda mais sendo em duas versões, dois filmes, que contam a mesma historia, por dois olhares diferentes”.

Apesar de ser a mesma personagem nos dois filmes, em cada um deles Carla Diaz precisou fazer uma atuação completamente diferente. Em A Menina Que Matou os Pais, Suzane é manipuladora e seduz Daniel; já em O Menino que Matou Meus Pais, ela é uma garota doce e apaixonada, levada pelo namorado às drogas.

“Para nós, atores, é um superdesafio um projeto desses, e até porque ele acaba sendo inédito: esse modelo de dois filmes contarem a mesma história, nunca aconteceu no cinema antes”, revelou a ex-BBB.

Para gravar os longas, foram 33 dias de gravações. “Foi um recorde. E foi muito intenso, porque nós todos da equipe, tínhamos muita concentração e foco para poder realizar dois filmes e contar duas histórias, versões completamente diferentes, e trocar a chavinha quando precisava gravar outra versão. Foi único e muito diferente”, confessou Carla.

Confira:

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›