CNN Brasil responde executivo da Band que acusou canal de ter projeto político

CNN Brasil
CNN Brasil repudiou e rebateu declaração do vice-presidente do Grupo Bandeirantes que canal de notícias faz parte de “projeto político” (Imagem: Divulgação / CNN Brasil)

A CNN Brasil rebateu, através de nota assinada pelo seu superintendente de Relações Institucionais, Fábio Portela, as declarações feitas pelo vice-presidente dos canais pagos do Grupo Bandeirantes, Paulo Saad, em entrevista concedida à coluna de Flávio Ricco, do UOL, na qual afirmou que acredita que a implantação do novo canal de notícias seria parte de um projeto político.

“A CNN Brasil repudia as declarações infelizes de Paulo Saad acusando a empresa de ter um projeto político”, iniciou o comunicado enviado como um direito de resposta.

Na entrevista, Saad questionou as negociações feitas pela CNN para fechar o seu elenco, afirmando que os valores ofertados está fora dos parâmetros praticados no mercado. “Acho estranho uma emissora que ‘não fecha as contas’. Ela está investindo um dinheiro que o mercado não suporta. Eu sei de quais são as rendas deles, e realmente não paga o salário de nenhum dos grandes nomes que eles contrataram”, avaliou ele.

A emissora ainda explicou como se faz a divisão da empresa, que justificaria o valor investido. “A CNN chega ao país através de uma empresa brasileira de mídia, licenciada da maior marca de notícias do mundo, com um modelo de negócio inovador, para oferecer ao público e aos anunciantes uma nova opção de informação – moderna, multiplataforma e de credibilidade”.

“Nosso negócio tem três pilares: o comando executivo de profissionais com ampla experiência no mercado de mídia e um time de talentos, na frente e por trás das câmeras; um sócio investidor com reconhecida trajetória empresarial de sucesso, proprietário de três empresas de capital aberto na Bolsa de Valores; e a gestão indireta da CNN Internacional e da WarnerMedia, um dos maiores grupos de mídia do planeta”, completou.

A CNN vai produzir jornalismo profissional, isento e de qualidade, que defenderá os interesses da sociedade e será sustentada unicamente pelo mercado publicitário e de distribuição no Brasil, e outras unidades de negócio derivadas do uso da marca no país”, disse.

Portela finalizou reiterando que a chegada do novo canal deveria ser “comemorada por trazer novos investimentos, empregos e oportunidades no setor, e não alvo de críticas caluniosas”. “A CNN prossegue na torcida pelo sucesso do Grupo Bandeirantes e dos demais grupos nacionais de comunicação”, concluiu.

PRÓXIMA MATÉRIA→

A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.

RECEBA NOTIFICAÇÕES GRÁTIS