Com críticas a Bolsonaro, Jornal da Record bate recorde de audiência em maio

Jornal da Record
Jornal da Record atinge alta audiência em maio com críticas a Bolsonaro (Imagem: Reprodução / Record)

O Jornal da Record conquistou expressivos índices de audiência no mês de maio em São Paulo e no PNT (Painel Nacional de Televisão). Em várias edições do mês passado, o principal telejornal da Record disparou críticas contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Há 18 meses na vice-liderança em SP, o jornalístico apresentado por Christina Lemos e Luiz Fara Monteiro marcou 9,6 pontos de média e share de 14% (número de televisores ligados), o maior índice desde março de 2020, quando obteve 9,6 de média geral. O SBT ficou em terceiro lugar com 5,9 pontos.

No PNT, o JR foi vice-líder absoluto com 9,0 pontos de média e participação de 14%, contra 5,3 do SBT. Assim como na capital paulista, este foi o maior índice de audiência desde março de 2020, quando registrou 9,2 pontos de média.

Em maio, o Jornal da Record produziu uma reportagem sobre o atrito entre Angola e a Igreja Universal. Em vários momentos, a emissora usou o seu telejornal e expôs sua revolta pela inércia do Governo Bolsonaro no assunto.

O jornal dedicou quase 10 minutos de uma única edição para o problema. Uma equipe de reportagem esteve no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e mostrou a chegada de integrantes da igreja expulsos do país africano, segundo a Record, “em ações de perseguição religiosa e política”.

O âncora Luiz Fara Monteiro disse que o Ministério das Relações Exteriores do Governo Bolsonaro, “que deveria proteger os brasileiros em Angola”. Por meio do jornalista, o canal afirmou que o governo “falhou na missão”.

“E o governo brasileiro também foi omisso, e não atuou de forma ativa para evitar a deportação dos missionários”, detonou o apresentador. Renato Cardoso, um dos chefes da igreja, não poupou críticas.

“O que mais nos indigna não é o que está acontecendo lá em Angola. É a ausência de autoridades brasileiras para interceder pelos pastores, pelos brasileiros em um país estrangeiro. Até quando o governo brasileiro vai ficar calado, passivo, diante desta situação?”, questionou o genro de Edir Macedo.

Os dados são consolidados pelo Ibope.

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›