Com Fla-Flu, SBT mostra que aprendeu com o manual esportivo da Globo

SBT
SBT exibiu o clássico entre Flamengo e Fluminense (Imagem: Reprodução / SBT)

O SBT exibiu o clássico carioca Fla-Flu na noite da última quarta-feira (15). O jogo, que deu vitória ao time Rubro-Negro, proporcionou outras comemorações ao canal de Silvio Santos. A primeira delas é que a emissora mostrou saber fazer futebol, ou melhor, não desaprendeu.

Certamente, de olho no manual que a Globo produziu ao longo de décadas de forma prática com a exibição de vários campeonatos pela TV, a turma do SBT promoveu uma exibição esportiva redondinha. Só não foi 100% porque a torcida não estava presente no estádio devido às restrições pelo combate à Covid-19. Mas há que se analisar algumas observações da transmissão, também. O canal, mesmo que às pressas, colocou em prática alguns detalhes que são vistos na concorrente e fazem a tradição do “esporte global”.

Sob o comando do genial Téo José, escalado às pressas para conduzir a narração, a produção do SBT se atentou aos detalhes e, por conta disso, em elaborar um cenário interessante, com um telão que mostrava as imagens à equipe de transmissão. O detalhe da logomarca da emissora na camisa dos apresentadores deu um ar de Globo na transmissão. O canal de Silvio Santos fez até um teaser institucional para “apresentar” a rede aos telespectadores que estão acostumados a assistirem aos jogos só pela rival. Golaço do SBT!

O cenário, amplo, com detalhes do mundo do futebol e sem aquele apelo do verde-grama no chão, deu um toque elegante à composição. Ao lado de Téo estavam os ex-jogadores Carlos Alberto e Athirson com comentários pertinentes e sem atropelos. A trinca estava afiadíssima ao vivo. Além dos comentaristas, havia Isabela Benito e Smigol como repórteres de campo para trazerem mais informações aos telespectadores.

As imagens mostravam a disputa em campo, mas a guerra travada fora do retângulo futebolístico era entre um SBT acomodado, que sequer dá importância ao esporte, contra um SBT que mostrou potencial para brigar de igual para igual com a Globo em uma transmissão de futebol.

Porém, nada parece ser tão bonito como o pavão montado. Aliás, é hora de mostrar que existe um calcanhar de Aquiles no pé do SBT. O canal não gerou as imagens do campo, ficando por conta da TV do Flamengo. O departamento de esporte do canal, esvaziado pela direção devido à falta de interesse e possibilidades, recrutou Téo José após um acordo com a Disney.

Para um acerto que durou pouco mais de uma semana, a transmissão foi excelente. Este passo dado pela TV da Anhanguera mostra que o canal tem muita lenha para queimar no âmbito de transmissões esportivas diante da aceitação do público, que fez muito barulho nas redes sociais. Digo isso por detalhes ao longo dos quase 40 anos de SBT. O canal inovou em transmissões da Copa do Mundo com o “Amarelinho” pulando na tela quando o Brasil fazia um gol. Quem acompanhou a disputa pelo mundial de 1994 nunca esqueceu. Pode até ter assistido aos jogos pela Globo, mas mudava de canal para ver o personagem pular durante o gol (sim, eu fazia isso!).

Silvio Santos não pode ignorar que o esporte trouxe cotas de patrocinadores que não enxergavam o SBT como possibilidade. Milhões, agora, fazem parte dos cofres do SBT por meio de patrocínios de um produto que a emissora desconhecia há anos. Em um período de pandemia, um produto como o esporte faria grande diferença nas contas do canal.

Em relação à audiência, o SBT mostrou que tem garra e que a novidade foi bem aceita fora dos padrões Globo de jornalismo. Em dados consolidados, a emissora de Silvio Santos marcou, no Rio de Janeiro, entre 20h40 e 23h10, 26,2 pontos de média contra 26,1 da Globo, que exibiu o Jornal Nacional, a novela Fina Estampa e a sessão de filmes Cinema Especial. Com a bola rolando, das 21h às 22h58, o SBT marcou 27,8 pontos e a Globo registrou 26,8 pontos. Já em São Paulo, o jogo virou a favor da Globo e o Fla-Flu deixou o SBT em segundo com 11,7 pontos enquanto a Globo liderou com 31,3.

Mas há que se ter a noção de que o jogo foi somente uma final. Exibir um campeonato inteiro requer preparo, investimentos, contratação de uma equipe afiada e a compra de equipamentos. A Globo, que exibe vários campeonatos ao longo do ano, tem estudos detalhados para enriquecer as transmissões. Será que nas próximas negociações o SBT fará um gol?

CONTINUE LENDO →

Reuber Diirr é formado em jornalismo pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Com passagens pela Record News ES e TV Gazeta (Globo/ES), é apaixonado por televisão e acompanha as coletivas de imprensa com matérias exclusivas em vídeos com os artistas para o RD1. Além disso, produz conteúdo multimídia com as principais informações dos famosos para o Instagram, Twitter, Facebook e Youtube do RD1. Acompanhe os eventos com famosos clique aqui!