Craque Neto dispara poucas e boas após agressão à bandeirinha no Campeonato Capixaba

Craque Neto
Craque Neto desabafou sobre caso de agressão à bandeirinha de jogo (Imagem: Reprodução / Band)

O Craque Neto ficou revoltou com a agressão à assistente de arbitragem Marcielly Netto, durante o jogo entre Nova Venécia e Desportiva, no Campeonato Capixaba. O famoso ainda desabafou contra a falta de atitude de jogadores, comissão técnica, seguranças e policiais após o treinador Rafael Soriano causar em campo.

Cabe lembrar que, assim que o episódio aconteceu, o treinador do Desportiva foi expulso de campo. No programa Os Donos da Bola, da Band, porém, o apresentador ressaltou que, além de ser uma agressão a um integrante da arbitragem, trata-se de violência contra uma mulher.

“A covardia do treinador não é bater em uma bandeirinha ou em um bandeirinha homem. A covardia é bater em uma mulher. E o que me deixou mais bravo: nenhum jogador que viu a cabeçada fez nada. Ninguém fez absolutamente nada, nem árbitro nem segurança. Cambada de desgraçado”, disse o famoso, revoltado.

Veja Também

Ainda nesta segunda-feira (11), ele comentou: “Quando ele toma a cabeçada – e ele fala que não deu. Mas, vamos supor que você não tenha dado. Só a intenção, você tinha que ser preso. Quem estava lá, tinha que prender você”.

“A Marcielly Netto, uma menina. E ninguém fez nada. Nem os reservas, nem o auxiliar. Os jogadores dos dois times olham. Vocês tinham que ter entrado… Tinham que tirar o cara e colocar na ‘jaula’. Não é agressão contra uma bandeirinha, é contra uma mulher”, acrescentou o Craque Neto.

Ele completou: “A falta de respeito de todos que estão ali: jogadores, polícia, todo mundo. Não fizeram nada. Ele foi expulso. O que é ser expulso? Nada. Tinha que ser preso. E tem que ser banido do futebol, como exemplo”.

Craque Neto faz discurso histórico

Na semana passada, em defesa do goleiro Cássio, do Corinthians, o comunicador pediu a união de Globo, Band, SBT e Record para barrar a 1ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Cássio e Gil, jogadores do time paulista, foram alvos de ameaças de morte por supostos torcedores do clube. O apresentador considerou o responsável pelo crime como “vagabundo” e “sem vergonha”. A polícia encontrou duas pessoas envolvidas no episódio na tarde desta sexta-feira.

“Esse cara que deixou um revólver na camisa ameaçando o Cássio é um vagabundo, sem vergonha. O que mais tem na internet é pilantra”, iniciou. “O Abel Ferreira não falou que a violência aqui é ruim? Mas alguém tomou partido? Algum treinador, algum goleiro tomou partido do Cássio? O que tinha que acontecer? Cancelar a rodada de domingo [do Brasileirão]”, sugeriu.

Na sequência, Craque Neto acusou as federações de futebol do país de desunião: “Vocês todos, federações, CBF, classe de jogadores, vocês são tão desunidos e não tomam partido. O que está acontecendo no Corinthians, no Bahia e no Flamengo…”, lamentou.

Todas as emissoras tinham que se reunir e cancelar a rodada”, defendeu o famoso. “Daqui a pouco vão matar um comentarista, um jogador, alguém da família, um juiz. Daqui a pouco vai acontecer isso. Está demorando. Você fica dois dias falando disso e depois não fala mais”, detonou.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email luizfabio@rd1.com.br
Veja mais ›