Debate pega fogo e Galvão Bueno discute com comentarista

Galvão Bueno
Galvão Bueno discute com comentarista ao vivo no SporTV (Imagem: Reprodução / SporTV)

Galvão Bueno participou do Seleção SporTV, nesta quinta-feira (26), e acabou se estressando com um comentarista da atração, o Carlos Eduardo Lino. Tudo aconteceu quando o formato discutia o gol de Pablo anulado no empate entre Ceará e São Paulo.

Enquanto o narrador e André Rizek defendiam que o jogo deve ser julgado por conta do que eles consideram um “erro de direito”, o comentarista entrou no debate com uma opinião divergente. O global, então, se mostrou bastante contrariado e chegou a levantar a voz.

“Essa imagem que acabou de aparecer tem que levar o jogo para o tribunal. Existe o erro de fato e o de direito. O de fato é quando o juiz erra e pode argumentar que todo ser humano erra, o de direito é quando ele contraria as regras”, comentou o famoso.

Galvão Bueno completou: “Aí, a regra foi contrariada. Agora, fica claro que ele deu o sinal para o jogo recomeçar, mas, na súmula, ele escreve que não autorizou o reinício do jogo. É um absurdo porque a imagem deixa claro que ele fez isso e não podiam mais voltar atrás”.

“O problema é isso. Se não existisse o VAR, gol anulado. O bandeira anulou. O VAR instruiu o árbitro a dar o gol. E aí, ele dá a saída. A imagem é claríssima, como diz o Galvão. Depois de dada a saída, você não pode voltar atrás, isso é regra. E quando você atenta contra a regra, não é um erro técnico. Você valida algo que não vale. É um erro”, disparou Rizek.

Carlos Eduardo Lino reagiu: “Uma frase só: erro de direito não é bem isso. É desconhecimento da regra”. O apresentador rebateu: “Então, você atenta contra a regra, é diferente de um erro técnico”.

“Ué! É quando atenta contra a regra, Lino. Ao desconhecer a regra, você está atentando contra ela. É questão da palavra. O erro de fato é técnico, todos podem cometê-lo. O erro de direito, você disse, é quando desconhece a regra, é atentar contra a regra. O árbitro não podia voltar depois de recomeçar o jogo. Isso é erro de direito”, disparou Galvão.

“Então, quem está sob julgamento é o árbitro. Ele tem que ser colocado sob julgamento, congelado retirado. O jogo não está sob julgamento”, rebateu o comentarista. “E o VAR?”, questionou o narrador. “Todos do VAR estão sob julgamento. Mas o jogo não está, na minha opinião, respeito quem pensa diferente”, explicou Lino.

O narrador principal da Globo levantou a voz e disparou: “Não Lino, não Lino, não Lino! Me desculpe. Não, em hipótese alguma. Não, Lino. A partir do momento que tem um erro de direito, o jogo está sob julgamento. Acontece que ele colocou na súmula que não autorizou a saída”.

“Consultei o Arnaldo, que me disse que se ele disser no tribunal que autorizou o reinício do jogo, o jogo será anulado. O Sálvio Spínola foi bem ao dizer que o jogo terá um terceiro tempo. Claro que o árbitro está sob julgamento. O que você acha que pode acontecer? Suspensão para o árbitro e para os componentes do VAR? Se um erro de direito é comprovado, o jogo está sob julgamento, sim”, completou. André Rizek fez questão de encerrar a discussão.

Fábio AlmeidaFábio Almeida
Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e responsável pela coluna "Do Fundo do Baú", publicada às quintas-feiras no RD1, com conteúdos marcantes da história da TV brasileira. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email luizfabio@rd1audiencia.com
Veja mais ›