Dedé Santana solta a língua e revela verdadeira fortuna de Renato Aragão

Dedé Santana
Dedé Santana comenta sobre dinheiro de Renato Aragão (Imagem: Reprodução / Globo)

Dedé Santana, parceiro de Renato Aragão em Os Trapalhões e em vários outros projetos na Globo, falou com riqueza de detalhes sobre o patrimônio conquistado por seu antigo colega ao longo da carreira.

Em entrevista ao podcast No Flow, no YouTube, o comediante contou que não conseguiu uma grande fortuna com o seu trabalho nos palcos, ao contrário do eterno Didi.

“Eu sou esse tipo de artista: você me convida para um trabalho e eu não quero saber quanto eu vou ganhar. Eu podia estar milionário como o Didi”, explicou. “Ele é arquimilionário, na verdade. Para mim, arquimilionário é quem tem no mínimo 30 milhões no banco”, apontou.

“Não é o meu caso. Primeiro, eu perguntava o que eu ia fazer, se eu ia gostar ou não. Depois, eu queria saber quanto eu ia ganhar”, detalhou. Dedé Santana afirmou que brigou muito com Renato Aragão nos bastidores de Os Trapalhões, exibido entre 1974 e 1995.

“A gente brigava muito, mas muito mesmo, mas sempre por causa de trabalho. E, na maioria das vezes, ele estava certo. Renato é muito inteligente”, elogiou.

Lei Rouanet

No início do segundo semestre deste ano, Dedé Santana foi autorizado a captar R$ 1,2 milhão de reais em patrocínios pela Lei Rouanet, criada como incentivo ao setor cultural e terrivelmente atacada por eleitores do atual governo.

O projeto do humorista é um circo itinerante que une cinema, teatro e performance de palhaços pelo interior de São Paulo. Dedé Santana recebeu autorização para a captação de 246.732,48 a mais do que o pedido original.

Segundo a Veja, o pedido foi homologado no dia 6 de julho pelo ex-policial militar André Porciúncula Esteves, atualmente responsável pela Secretaria Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura.

A produção Cine Circo Teatro Itinerante Dedé Santana esteve na primeira leva de aprovações. Segundo a proposta, o projeto terá quatro dias de espetáculos e um público final de 44.000 pessoas, sendo 22.000 formado por gratuidades.

A área ficou sem contratar pareceristas desde o ano passado. A homologação perdeu força nos últimos meses, mas há dias Esteves recebeu uma lista com a sugestão da área técnica para pedidos de autorização de 139 projetos inscritos na lei.

Confira:

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›