Edição especial desacreditada de Flor do Caribe bate recorde de média semanal

Flor do Caribe
Grazi Massafera (Ester) e Henri Castelli (Cassiano) em Flor do Caribe; edição especial bate recorde de média semanal (Imagem: Reprodução / Globo)

O anúncio da edição especial de Flor do Caribe (2013) causou espanto em muitos noveleiros. É que a novela de Walther Negrão, apesar do bom desempenho em audiência quando exibida originalmente, nunca esteve entre os títulos mais festejados da faixa das 18h. A Globo, porém, bancou a aposta numa produção “de cores vivas” após a soturna Novo Mundo (2017).

Dados obtidos na Grande São Paulo entre os dias 26 e 31 de outubro atestam o êxito da escolha. Com os capítulos exibidos nesta última semana, Flor do Caribe atingiu recorde: 21,8 pontos. Na semana anterior, de 19 a 24, foram 20,8 pontos. Em cena, os planos dos colegas de Cassiano (Henri Castelli) na Força Aérea Brasileira para libertá-lo de Dom Rafael (César Troncoso) e o rompimento definitivo de Ester (Grazi Massafera) e Alberto (Igor Rickli).

Laços de Família (2000) em Vale a Pena Ver de Novo também cresceu, de 17,8 para 18,2. A chegada de Íris (Deborah Secco) ao Rio de Janeiro marcou a narrativa, agora centrada na disputa direta de Helena (Vera Fischer) e Camila (Carolina Dieckmann) por Edu (Reynaldo Gianecchini). Malhação – Viva a Diferença (2017) saltou de 18,4 para 19 pontos, com as cenas de K1 (Talita Younan) fugindo do assédio do padrasto; a moça levou a questão ao conhecimento de Dóris (Ana Flávia Cavalcanti).

Haja Coração (2016) oscilou para baixo, de 25,9 para 25,7 de média. O folhetim das 19h trouxe a desavença de Apolo (Malvino Salvador) e Tancinha (Mariana Ximenes), flagrada pelo noivo durante uma situação inusitada com Beto (João Baldasserini); os dois ficaram presos no elevador, num plano articulado pelo publicitário para seduzir a feirante.

O mesmo se deu com A Força do Querer (2017), que foi de 29,9 para 29,3. Além das investigações de Jeiza (Paolla Oliveira) sobre os crimes de Rubinho (Emilio Dantas), a trama destacou o parto de Ritinha (Isis Valverde), realizado pela policial durante um tiroteio, e as armações de Cibele (Bruna Linzmeyer) contra o ex, Ruy (Fiuk), “pai” da criança que a “sereia” pariu.

Duh SeccoDuh Secco
Duh Secco é  "telemaníaco" desde criancinha. Em 2014, criou o blog "Vivo no Viva", repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.
Veja mais ›