Eva Wilma recebe alta após 21 dias internada em hospital com pneumonia

Eva Wilma
Eva Wilma deixou o hospital neste domingo (Imagem: Divulgação / Globo)

Eva Wilma, de 87 anos, recebeu alta médica, neste domingo (31). A atriz estava hospitalizada há 21 dias internada com pneumonia no Hospital Vila Nova Star, da Rede D’Or, na Zona Sul de São Paulo.

A assessoria de imprensa da famosa confirmou a alta hospitalar nesta segunda-feira (1º) ao G1. Durante a internação, a veterana atriz foi submetida a um teste de Covid-19, que deu negativo.

Eva Wilma deu entrada no hospital em 10 de janeiro e passou nove dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com dificuldade respiratória. A famosa necessitava de suplementação de oxigênio após apresentar um quadro de pneumonia leve.

Ao deixar a UTI, um boletim médico foi divulgado pela assessoria da instituição, que garantiu que ela “está consciente, mantendo estabilidade hemodinâmica e vem apresentando evolução clínica satisfatória nos últimos dias”.

“Seguirá internada no apartamento para otimização de parâmetros clínicos”, ressaltou o comunicado oficial do Hospital Vila Nova Star.

O último trabalho da veterana na TV foi na novela O Tempo Não Para, em 2018, quando interpretou a cientista Petra. A sua última aparição na TV, no entanto, foi na edição especial de Fina Estampa, de Aguinaldo Silva, exibida em 2020.

A internação de Eva Wilma ocorreu quase cinco anos após a sua última crise de saúde. Em 2016, ela foi internada na UTI do Hospital Albert Einstein com o diagnóstico de embolia pulmonar. Ela ficou três semanas internada e se recuperou totalmente.

No ano passado, em uma série de entrevistas para homenagear os 70 anos da televisão, Pedro Bial conversou com a veterana. Ela lembrou, por exemplo, que não foi escalada para um filme do cineasta Alfred Hitchcock. Eva destacou que um agente se aproximou dela, enquanto ela almoçava, para fazer um convite para um teste.

“Fui para Hollywood no dia seguinte”, contou ela. Depois de três meses, a atriz diz que foi escolhida uma alemã [Karin Dor] para o papel da cubana. “O meu consolo, também, digo para me conformar, é que ‘Topázio’ [1969] não foi um dos bons filmes de Hitchcock. Eu assisti e falei: ‘Esse papel não era para mim’. Mas era para me conformar, porque eu queria ter feito”.

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›