Ex-BBB Marcela McGowan tira dúvidas sobre o sexo entre mulheres

Marcela Mc Gowan
Ex-BBB Marcela McGowan tira dúvidas sobre o sexo entre mulheres (Imagem: Reprodução / Instagram)

Marcela McGowan ficou conhecida ao participar do BBB 2020, o que deu um up na sua profissão de médica ginecologista e especialista em sexualidade feminina. Em entrevista à revista Glamour, a famosa deu dicas sobre o sexo lésbico, já que está namorando com a cantora sertaneja Luiza.

A loira logo opinou que as mulheres homossexuais são estigmatizadas e isso interfere diretamente nesses momentos íntimos: “Existe uma imagem que não corresponde a realidade e isso é muito ruim. Vejo mulheres que vão começar a se relacionar com outras mulheres ficando muito angustiadas pela falta de referências [positivas]. O que a gente tem de referência midiática é essa cheia de clichês”.

Sobre o rótulo de ativa ou passiva, Marcela se mostrou contra ao sexo se prendendo apenas a esse roteiro: “Muitas mulheres vão para um relacionamento já com esse pensamento pronto, presas a um roteiro, quando, na verdade, em qualquer tipo de sexo a gente deveria se abrir para compreender as possibilidades existentes (…) Tem gente que gosta, tem gente que não gosta”.

Outro ponto tocado pela namorada de Luiza, que considerou que a penetração não é obrigatoriamente necessária: “Como fomos ensinadas a buscar prazer nesse roteiro heteronormativo, a penetração acaba resumindo a prática do sexo – o que é totalmente errado. Precisamos sempre ter em mente que existem outras partes do corpo que proporcionam prazer”.

Ela ainda explicou que as unhas grandes podem atrapalhar na hora desses contatos mais ousados: “Envolve muito toque no genital e a unha mais comprida pode acabar machucando e criando micro escoriações. Além disso, por uma questão médica, quanto mais curta a unha for, menos resíduo você acumula ali e, consequentemente, menos chances de algum tipo de infecção ou contaminação”.

Por fim, Marcela McGowan frisou que é mito o fato que as lésbicas não precisam usar camisinhas, já que também podem ser infectadas com doenças sexualmente transmissíveis: “No sexo oral e, se for compartilhar vibrador ou objetos tem que usar camisinha também. Tudo que for proporcionar contato de mucosa com mucosa, seja da vulva ou da própria boca, pode transmitir doenças”.

Não é apenas o sexo com penetração que pode transmitir infecções sexualmente transmissíveis, alerta a médica. O HPV, sífilis e gonorreia, por exemplo, são bastante transmissíveis pelo contato de mucosa.

AvatarDa Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›