Ex-BBB Patrícia Leitte adia nova gravidez ao descobrir doença no útero e se pronuncia

Patrícia Leitte
Ex-BBB Patrícia Leitte adia nova gravidez ao descobrir doença no útero e se pronuncia (Imagem: Reprodução / Instagram)

Patrícia Leitte está atualmente casada com o médico Lucas Teixeira e, mesmo tendo um filho de 14 anos (de outro relacionamento), mostrou o desejo de engravidar do marido, mas esse sonho teve que ser adiado, já que ela descobriu uma doença no útero.

A ex-participante do Big Brother Brasil 18 informou seus seguidores do Twitter sobre a novidade ingrata, confirmou que fará tratamento e explicou mais desse problema:

Infelizmente descobri que estou com adenomiose. Fiz uma ressonância magnética e pelo menos não deu endometriose. A adenomiose pode provocar complicações graves na gravidez, como gravidez ectópica ou aborto, por isso nosso bebê foi adiado. Só após o tratamento. Tô tratando”.

Patrícia falou mais de sua adenomiose — doença que fez Simone retirar o útero — no Instagram, dizendo que o acometimento se deu depois da cesárea do parto do primeiro filho. Ela ainda contou que tinha feito um exame preventivo em dezembro de 2020 e que não deu nada, mas que no teste mais atual conseguiu detectá-lo.

A ex-BBB afirmou que diagnóstico desse problema não é fácil e que precisou de uma ressonância magnética para identificá-lo. Os sintomas que ela tem sentido são: dores maiores no ovário esquerdo, dor no período menstrual e cólica. Por sorte, a famosa não teve endometriose e a possibilidade de engravidar não foi anulada.

Ainda em vídeos nos Stories, Patrícia Leitte informou que já começou o tratamento e que está tomando dois remédios manipulados. No Twitter, demonstrou seu otimismo: “Fé! Já deu tudo certo”. Até mesmo Wesley Safadão mandou uma mensagem de incentivo: “Vai dar tudo certo”.

Confira:

Matheus Henrique MenezesMatheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTI+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›