Fantástico
Fantástico ironiza Bolsonaro e detona governos de Dória e Witzel (Imagem: Reprodução/ Globo)

O Fantástico voltou a ironizar o presidente Jair Bolsonaro durante o Isso a Globo Não Mostra, exibido neste domingo (8). No programa, a Globo brincou com uma possível chamada de pronunciamento do político.

“Interrompemos nossa programação para um pronunciamento do excelentíssimo senhor presidente da República, Jair Bolsonaro”, disse o quadro, logo na abertura. Bolsonaro apareceu em seguida dando um rápido comentário sobre suas dificuldades.

“Eu tenho dificuldades seríssimas em muitas áreas ainda”, afirmou o presidente, antes de ser cortado pelo humorístico. A fala foi de uma entrevista coletiva do político.

Em seguida, o Fantástico também detonou a situação da segurança pública de São Paulo e do Rio de Janeiro, aproveitando para criticar João Doria e Wilson Witzel.

“Aumenta o número de vítimas em ações policiais em São Paulo”, anunciou Renata Vasconcellos, no Jornal Nacional. “Mas a política de segurança pública do estado de São Paulo não vai mudar”, disparou o prefeito de SP.

Para falar sobre a situação do Rio, o humorístico lembrou a seguinte declaração de Witzel: “E se fosse com autorização da ONU em outros lugares do mundo, nós tínhamos autorização para mandar um míssil naquele local e explodir aquelas pessoas”.

Na sequência, o Fantástico debochou dos políticos com um desabafo do Professor Raimundo, vivido por Chico Anyzio, na Escolinha.

“Polícia quando ela quer ela é de uma eficiência maravilhosa. Mas a PM está se deteriorando e acho que a PM precisa recuperar o respeito que tinha. Essas duas letras PM já significaram polícia militar e hoje o povo chama de polícia matadora. Eu acho que a coisa que a polícia tem que fazer é filtrar na escolha dos que ingressam nela, sendo mais rigorosos na escolha dos seus homens. Quem sabe esse PM não se torne polícia melhor”, disse o humorista.

Você está ficando de fora...

Não perca nada!

Saiba tudo o que está em alta no Instagram dos Famosos.

SIGA AGORA