Felipe Neto desabafa sobre Cuba e dá lição de moral ao apontar problemas no Brasil

Felipe Neto
Felipe Neto puxa a orelha de internautas (Imagem: Reprodução / Instagram)

Felipe Neto comentou sobre a situação de Cuba, alvo de inúmeros protestos da população contra o regime autoritário do país. O youtuber não negou a situação alarmante vivida pelo país, mas puxou a orelha da web e lembrou de um “problemão” enfrentado dentro do Brasil.

“Cuba tem merda sim. Tem governo autoritário sim. Tem prisão absurda e inaceitável sim. Mas também tem embargo e sofrimento provocado pelo imperialismo americano”, realçou.

Em seguida, ele citou um dado alarmante da população brasileira. “Agora, tem 19 milhões de brasileiros passando fome. Você está obcecado com Cuba? Onde você aprendeu a fazer isso? Pense”, implorou.

Recentemente, Felipe Neto esteve em uma live organizada pela Open Society Brasil e comentou sobre um assunto passível de discussões acaloradas: a liberdade de expressão.

O ativista aproveitou a pauta e lembrou do processo que enfrentou por ter chamado o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de genocida. “Não é crime e eu fui processado criminalmente. Abriram um inquérito contra mim e ele foi arquivado. Onde se aprendeu que é crime chamar o Bolsonaro de genocida? Quem te falou isso? Essa é a forma das pessoas serem doutrinadas. E eles ainda falam que o PT doutrinava as pessoas”, ironizou.

Em seu discurso, Felipe citou Cuba como “arma” para os bolsonaristas. “Deveríamos estar em algo complexo, mas nunca conseguimos sair do raso. Já fiz tantas lives, estou acostumado”, admitiu.

“Deve ter um monte de ‘bolsominion’ perguntando de Cuba. Eles aprendem no WhatsApp. Existe um curso para formar ‘soldadinhos’ digitais, que nada mais são do que gados no pasto. Eles são ordenados a vomitar as burrices que consomem. Eles não se interessam em aprender”, constatou.

Confira:

Paulo CarvalhoPaulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›