Felipe Neto pede boicote à Record após polêmica em vídeo de Edir Macedo

Felipe Neto
Felipe Neto criticou Edir Macedo após vídeo polêmico cair na web (Imagem: Reprodução / Montagem – RD1)

Felipe Neto voltou a usar o Twitter para expor sua opinião e, de quebra, deixar os internautas divididos. Desta vez, o youtuber se posicionou de maneira contrária e crítica após o vídeo polêmico envolvendo declarações do bispo Edir Macedo, dono da Record.

A repercussão começou depois de um vídeo repercutir na web. Nele, o líder religioso surge pedindo a fiéis, durante um culto na Igreja Universal, que “o Espírito Santo quer que você ponha a mão no bolso”.

Retuitando uma matéria sobre o tema feita pelo jornal O Globo, Neto não só criticou a atitude de Edir como, também, fez referência às recentes manifestações e pedidos de boicote à Netflix e o especial de Natal do Porta dos Fundos.

“Isso aqui não ofende a fé não, né? Cadê a revolta? Cadê as manifestações? O boicote à Record? Cadê?”, escreveu ele, indignado. Vários seguidores responderam ao tuíte do youtuber, que registra mais de 51 mil curtidas.

“Isso tudo bem. Problema é ser gay”, disse Marcelo Adnet. “Roubar dinheiro de quem mais precisa tá certo, agora fazer um vídeo zoando essa mesma religião que rouba os pobres é errado. Talvez faça sentido na cabeça desse povo”, disparou outro fã.

Outra seguidora disse que Felipe Neto não conhece o tema que criticou. “Você não conhece o que fala, se conhecesse um pouco da fé protestante saberia que esse tipo de comportamento é repudiado na maioria das denominações, e a universal não é referência de cristianismo, nunca foi, são charlatões que usam a fé. Tenho o direito de me ofender com ambos!”, escreveu uma internauta.

Felipe Neto detona censura contra especial do Porta dos Fundos

Felipe Neto soltou o verbo contra a Justiça do Rio de Janeiro, que ordenou a retirada do especial de Natal do Porta dos Fundos do catálogo da Netflix. O youtuber criticou a decisão judicial e mostrou preocupação com a liberdade da cultura no país.

No Twitter, o famoso destacou que o episódio foi o primeiro caso de censura que atinge uma grande produção no Brasil. “Isso vai repercutir no mundo inteiro. A liberdade da cultura no Brasil acabou. O precedente que isso abre é imenso”, afirmou.

Felipe destacou países que não censuram produções de humor envolvendo religião. O “Países onde você pode debochar de religiões e crenças em qualquer conteúdo de humor: EUA, Inglaterra, Canadá, França, Suécia, Espanha. Países onde não pode: Arábia Saudita, Irã, Líbia, Síria, Afeganistão, Paquistão. Precisa explicar mais ou deu para entender?”, questionou.

Segundo ele, em países desenvolvidos o humor debochado contra o cristianismo se tornou comum. “E muito mais pesado que o especial do Porta dos Fundos”, contou. “Então, se você lambe as bolas de Trump, deveria saber que lá sacaneiam Jesus muito mais e não acontece nada”, argumentou Neto.

João Amaro acompanha o mundo da TV e Famosos, assiduamente, desde 2008. É jornalista formado, tem experiência no jornalismo digital, passagens por vários veículos de comunicação, mas se achou no RD1. No Twitter, ele é @_joaoamaro.

WordPress Lightbox