Fernanda Montenegro emociona a web com discurso após incêndio na Cinemateca

Fernanda Montenegro
Fernanda Montenegro comove em vídeo sobre a Cinemateca de SP (Imagem: Reprodução / Globo)

Fernanda Montenegro deixou fãs e colegas de profissão sensibilizados com um texto sobre o incêndio na Cinemateca de São Paulo. Após uma manutenção em um ar condicionado, um dos galpões do local pegou fogo e se alastrou para mais dois pontos do local.

“Eu quero falar aqui o que eu escrevi. O incêndio na nossa Cinemateca Brasileira em São Paulo, é uma tragédia anunciada”, destacou no Instagram.

“Toda a nossa cultura das artes sofre um ‘cala a boca’ neste momento. Mas vamos renascer, tenho certeza. Nós temos certeza”, manifestou. “Das cinzas, vamos renascer. É sagrado o eterno retorno. Das artes, então. Na cultura das artes, então. Um país não existe sem cultura ligada as artes”, finalizou.

“Obrigada, Fernanda! Tristeza sem fim! Queimamos um pouco juntos!”, escreveu Bárbara Paz. “Eles querem destruir tudo. Nós vamos sobreviver a esse Nazi Fasci maldito”, desabafou Betty Faria.

“Triste Demais!”, expressou Maria Fernanda Cândido. “Vamos, amada Fernanda, não vai ser fácil, nunca foi…”, acrescentou Julia Lemmertz. “Desolador”, definiu Patrícia Pillar.

Incêndio

O incêndio atingiu um galpão da Cinemateca Brasileira na Vila Leopoldina, zona Oeste de São Paulo, na noite da última quinta-feira (29).

Segundo o Corpo de Bombeiros, o fogo começou quando uma empresa terceirizada iniciou a manutenção de um ar condicionado do local. Em 2020, o local foi atingido por enchentes. No incêndio, não houve vítimas.

“O fogo controlado significa que o fogo está confinado. A erradicação está mais próxima. O incêndio só será apagando completamente quando parar de subir fumaça branca. Não temos nenhum ferido”, afirmou Robson da Silva Bertolotto, diretor da Defesa Civil de São Paulo, à GloboNews.

Segundo o Jornal Nacional, no prédio ficavam cerca de um milhão de documentos da antiga Embrafilme, como roteiros, artigos em papel, cópias de filmes e documentos antigos. Alguns tinham mais de cem anos e estavam na lista dos objetos que seriam utilizados para a criação de um museu sobre o cinema nacional.

Confira:

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›