Funcionárias da Globo prestam apoio às vítimas do assédio de Marcius Melhem

Marcius Melhem
Grupo de funcionárias da Globo, Mexeu Com Uma, Mexeu Com Todas emite carta aberta sobre caso Marcius Melhem (Imagem: Estevam Avellar / Globo)

O movimento Mexeu Com Uma, Mexeu Com Todas, criado por funcionárias da Globo no início de 2017, como resposta à acusação de assédio sexual contra José Mayer, emitiu carta aberta sobre o caso Marcius Melhem. A resposta do grupo aos episódios envolvendo Melhem – duas vítimas de assédio sexual, sete de assédio moral e três de ambos – veio após a divulgação de detalhes sobre as acusações, que partiram da atriz Dani Calabresa, e o procedimento, considerado falho, da emissora quanto apuração e conclusão.

Diante dos fatos expostos envolvendo denúncias sobre assédio sexual e moral cometidos por Marcius Melhem em período que exercia cargo de direção na empresa, viemos a público repudiar qualquer conduta que reafirme e beneficie o sistema de práticas opressivas relacionadas ao gênero e à hierarquia profissional que se estabeleceu ao longo dos anos“, afirma o documento do grupo que reúne 150 funcionárias do canal, das mais diferentes áreas.

A carta traz críticas à Globo, que, conforme matéria da revista Piauí sobre o caso, foi “omissa”, especialmente no que tange às condutas de Monica Albuquerque, diretora de Desenvolvimento e Acompanhamento Artístico, que deixa a casa no fim do ano. “Também gostaríamos de criticar o silêncio e a falta de transparência na condução do caso por parte da empresa, uma vez que houve escuta das vítimas pelo compliance“, decreta o movimento.

Apenas com uma rede de apoio sólida e fortalecida poderemos caminhar para o fim da violência de gênero que nos coloca vulneráveis dentro do nosso ambiente de trabalho. Nossa mobilização é contínua, nossos diálogos estão abertos e nosso posicionamento parte do princípio que é necessário que se estabeleça“, conclui o documento, listando ações para o aprimoramento das condutas em casos como o de Marcius Melhem.

1) uma escuta ativa das vítimas; 2) que providências efetivas e transparentes sejam tomadas; 3) que, sobretudo, sejam estabelecidos mecanismos de educação e conscientização sobre essas violências a fim de que possamos consolidar um ambiente de trabalho saudável e seguro para todas as mulheres“, pede o grupo.

Duh SeccoDuh Secco
Duh Secco é  "telemaníaco" desde criancinha. Em 2014, criou o blog "Vivo no Viva", repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.
Veja mais ›