Galvão Bueno confirma que estará na transmissão da próxima Olimpíada

Galvão Bueno
Galvão Bueno afirmou que ainda não pensa em aposentadoria (Imagem: Divulgação/ Globo)

Galvão Bueno foi mais uma vez um dos grandes destaques da cobertura da Globo durante os Jogos Olímpicos de Tóquio. Após repercutir muito nas redes sociais, o global confessou que ainda não vai se aposentar.

Em entrevista ao Fantástico, neste domingo (8), o famoso garantiu que estará nas competições “nem que tenha que comprar ingresso”. “Antes que você me pergunte se possa ter sido minha última Olimpíada, Paris é logo ali!”, disse, ao podcast Isso é Fantástico.

“Vou estar lá. Como, onde, que jeito, por quem, trabalhando para quem, eu não sei. Mas vou estar lá. Eu só peço a Deus que me dê saúde, nem que eu vá com Desirée [esposa], com os filhos, começar a comprar ingresso de tudo e organizar as coisas”, acrescentou o principal nome do Esporte da emissora.

Galvão Bueno ainda fez um balanço da carreira e declarou que não se imaginava narrando depois dos 70 anos. Porém, ele não pensa em parar de trabalho.

“O mundo mudou. As pessoas se aposentavam mais cedo com menos idade. Não consigo viver parado. Além do meu trabalho na televisão, tenho investimentos, meu trabalho, sou orgulhosamente produtor de vinhos, no Brasil e na Itália, não consigo viver parado!”, desabafou ele.

O famoso ainda declarou: “Quando falei no fim da Copa de 2010, entendia que ia fazer 2014, e talvez não estivesse na Rússia em 2018. Seria a última Copa fora do Brasil, não quer dizer que eu fosse parar de trabalhar. As coisas vão vindo… Eu sei lá. Que nem o Chacrinha: ‘quero morrer no palco’. Me faz bem”.

Em 2021, cabe lembrar, pela primeira vez, ele não cobriu in loco as competições, mas sentiu falta de estar perto da notícia. “Cheguei a dizer não deveria estar acontecendo. O Japão atrasado nas vacinas, em estado de emergência, mas com o passar dos dias, deu para entender que foi uma Olimpíada da superação”, comentou.

“Os atletas, as pessoas que durante a pandemia, a quarentena… Eu fiquei 14 meses sem fazer uma narração até tomar as vacinas. Os atletas treinavam na varanda de casa, em cima da mesa, da cama, jogava pneu pra cima, cada um se virava de um jeito. E tivemos recordes batidos, eventos e jogos fantásticos. Foi por esse lado, a superação”, apontou.

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email [email protected]
Veja mais ›