Geisy Arruda cobra menos de 200 reais por fotos e vídeos íntimos: “Não imaginava”

Geisy Arruda
Geisy Arruda está lançando o seu OnlyFans (Imagem: Reprodução / Instagram)

Geisy Arruda está sempre atualizando suas estratégias de marketing e, nesta semana, surpreendeu ao lançar a sua conta na plataforma OnlyFans, na qual vende o seu conteúdo por preços acessíveis.

De acordo com ela, a rede social exclusiva conta com mais de 60 conteúdos produzidos previamente. “Vou trabalhar com o imaginário e com a sexualidade das pessoas”, revelou a escritora ao colunista Leo Dias.

Para quem tiver interesse, ela cobra apenas R$ 165,00 de cada pessoa, mas como são muitos assinantes, seu lucro total é infinitamente maior. Ao colunista Leo Dias, ela explicou de onde surgiu a ideia:

“Abri uma conta e fiquei offline. Estava amadurecendo a ideia, quando comecei a ver as pessoas assinando meu Only. Mesmo sem conteúdo, já tinham 300 dólares na minha conta. Não imaginava o quanto queriam ver minha nudez e o quão ela era valiosa. Foi impossível resistir”.

Na mesma ocasião, ela ainda revelou um pouco do que vai fazer por lá: “É uma sensação divertida, como posar nua toda semana. Quero enlouquecer homens e mulheres, usar meu conhecimento como escritora, minhas histórias, meus relatos para o mercado do Only”.

Investindo cada vez mais pesado nesse mercado, Geisy Arruda também lançou recentemente o livro Não Apague o Meu Fogo: Queime Comigo. Segundo o UOL, a obra, que é a terceira da influencer, é um “convite a descobertas de novas formas de prazer em tempos de quarentena”.

“Infelizmente, vivemos nessa pandemia e não tem como fugir disso. Nada mais broxante no mundo do que a Covid. Comecei a pensar, não posso escrever contos de coisas que as pessoas não estão vivendo. Os contos foram feitos como se as pessoas estivessem em casa”, contou a escritora.

Apesar da ficção, o livro não deixa de ter histórias protagonizadas por Arruda. “Resgatei algumas transas antigas. Uma do Uber tive que colocar. A do Batom Vermelho também. Ela faz sexo oral enquanto o cara dirige. Tem o conto do Enforcamento. Durante uma transa o rapaz quis me enforcar. Também é verídico”, confessou.

“O legal dos meus livros é não saber exatamente o que é verídico. Não gosto de deixar nada óbvio. Quero que as pessoas pensem, onde essa louca foi enforcada?”, declarou.

Como autora e personagem muitas vezes se confundem, a famosa explicou: “A Geisy normal é mais exigente. Muito mais exigente! Se o homem está cheiroso, se está bem vestido, o cabelo arrumado, se beija bem. Tudo isso conta. As minhas personagens estão ali para o crime”.

Na sequência, Geisy ainda adiantou um conto: “Na história do Uber, a personagem está voltando da balada com o namorado e começa a transar dentro do carro. Ele vê pelo retrovisor e ela começa a empinar para o Uber passar a mão nela. De repente, o Uber para no asfalto e vem participar. Ela quer o prazer em si. Ela é mais liberal, não pensa muito. Eu já fico, mas esse Uber é bonito? (…) todo conto do Uber é maravilhoso”.

Outra história revelada pela influenciadora digital foi de um fetiche de um homem que se relacionou: “Conheci um rapaz na internet que queria que eu fosse a dominadora dele. O fetiche dele era que eu o humilhasse. Estava muito legal, engraçado por um tempo. Mas chegou uma hora que falei, estou sem tempo para humilhar esse menino. Estou muito ocupada com meu livro, não vai dar. Dei um gelo nele”.

MAIS LIDAS

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›