Gil do Vigor detona Governo Bolsonaro e fala em “capítulo infeliz”

Gil do Vigor
Gil do Vigor disparou contra o governo Bolsonaro após situação (Imagem: Reprodução – Twitter / Montagem – RD1)

Crítico do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Gil do Vigor detonou o governo brasileiro devido ao “apagão” ocorrido na Plataforma Lattes motivado por uma falha no servidor do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológicos).

O pernambucano, que sempre se posiciona em defesa da Ciência e dos pesquisadores brasileiros, disse que o episódio marca “mais um capítulo infeliz”. O ex-BBB ainda lamentou o “descaso” do governo com a área, que foi muito lembrada por ele no BBB 2021.

“Hoje o descaso com a ciência brasileira tem mais um capítulo infeliz! O recente apagão no servidor do CNPq reflete falhas inadmissíveis da gestão brasileira, dos governantes e seus envolvidos”, afirmou Gil do Vigor em seu Twitter.

O economista seguiu: “Infelizmente, pode ter sido perdido o trabalho de professores, alunos e pesquisadores, pois, não havia sequer um backup mínimo no servidor da plataforma Lattes”.

“É grave. É retrocesso. Estamos falando do trabalho árduo de milhares de brasileiros. Ciência brasileira salva vidas, mas parece que nosso governo atual não tem interesse por vidas e nem conhecimento”, completou Gilberto, que viajará em agosto para a Califórnia, nos Estados Unidos, onde fará seu PhD.

Cabe ressaltar que os sistemas do CNPq, agência federal de fomento à pesquisa, estão fora do ar desde o final de semana. Por causa da indisponibilidade, professores e pesquisadores de todo o país não conseguem ter acesso à plataforma.

O sistema agrupa as informações dos pesquisadores, além dos trabalhos desenvolvidos. O CNPq é uma entidade ligada ao Ministério da Ciência e Tecnologia responsável pelo fomento à pesquisa e pelo pagamento de bolsas a cientistas em todo o Brasil.

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email [email protected]
Veja mais ›