Globo confirma remake de Pantanal com matéria especial no Fantástico

Pantanal
Cristiana Oliveira (Juma) na versão original de Pantanal; Globo confirma remake em matéria do Fantástico (Imagem: Reprodução / Globo)

O Fantástico deste domingo (6) confirmou a produção do remake de Pantanal, novela que fez sucesso na Manchete em 1990 e que, conforme o RD1 adiantou com exclusividade, ocupa o horário das 21h na Globo em 2021 – após a reprise de A Força do Querer (2017), a fase final de Amor de Mãe e Um Lugar ao Sol. A matéria exaltou o êxito da trama na concorrência e adiantou detalhes da nova versão.

O autor Benedito Ruy Barbosa e seu neto Bruno Luperi, responsável pela adaptação, deram depoimentos à repórter Giuliana Girardi, assim com o diretor artístico Rogério Gomes e o diretor de produção Ricardo Waddington; Silvio de Abreu, hoje à frente da dramaturgia da Globo, não se manifestou. A matéria também exaltou o elenco original, contando com participações de Cristiana Oliveira, Marcos Palmeira e Paulo Gorgulho, além dos músicos Almir Sater e Sérgio Reis.

Acho que vai ser uma grande oportunidade de homenagear o Benedito”, destacou Ricardo Waddington, complementando a intenção de Edmara Barbosa, filha do autor, de reverenciar os 90 anos do pai – adiantada por ela em live no perfil Cenas da Teledramaturgia Brasileira. Ruy Barbosa mostrou-se emocionado. “Parece que eu vou estrear de novo”, declarou.

Sobre o texto, Bruno Luperi garantiu que fará as devidas atualizações. “ Obviamente que a sociedade evoluiu, alguns temas foram superados, que eram tabu na época dele [do original]… Isso tudo vai ter que ser trabalhado”. Inclui-se a questão do desmatamento, bem como as queimadas que estão assolando a região há meses.

A escolha da intérprete de Juma Marruá, protagonista defendida por Cristiana Oliveira na Manchete, também foi debatida. “Eu fico vendo a televisão o tempo todo e procurando quem é que eu vou chamar pra fazer a Juma”, revelou Benedito.

A gente depende muito dessa família. De quem será, de quem será a mãe. Acho que em cima desse DNA a gente vai chegar em quem vai fazer a Juma”, ponderou Rogério Gomes; em 1990, José Dumont e Cássia Kis defenderam tais personagens, Gil e Maria. “Eu apostaria num rosto novo, eu apostaria num lançamento”, defendeu Waddington.

Por fim, Papinha – como Gomes é conhecido –, deu a entender que a Globo, tal qual a concorrente, montará uma base para as gravações no Pantanal. “A essência do texto do Benedito faz com que a novela tenha esse desenho, da gente ficar lá. A gente tá se programando pra fazer na época da seca, né? Quando não tá alagado”. Nos anos 1980, a emissora recusou o projeto ao avaliar locações no período de cheias.

CONTINUE LENDO →
Duh Secco

Duh Secco é  “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com