Globo toma atitude após governo Bolsonaro censurar filme de Danilo Gentili

Luiz Fábio Almeida

15/03/2022

Globo

César Tralli no Jornal Hoje, que noticiou polêmica com filme de Danilo Gentili (Imagem: Reprodução – Globo – Netflix / Montagem – RD1)

O Jornal Hoje, da Globo, desta terça-feira (15) surpreendeu o seu público ao anunciar a decisão do governo Bolsonaro de censurar o filme Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola. Isso porque o Ministério da Justiça pediu a retirada do longa das plataformas de streaming.

César Tralli anunciou: “O Ministério da Justiça censurou a comédia Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola alegando apologia à pedofilia. A decisão foi publicada hoje depois que o filme lançado em 2017 começou a ser atacado por bolsonaristas na rede social, por causa de uma cena em que crianças sofrem assédio sexual cometido pelo vilão do filme, interpretado por Fábio Porchat”.

“Na época do lançamento, o filme foi elogiado por bolsonaristas, como o pastor Marco Feliciano, que disse numa rede social: ‘Há tempos não ria tanto’. Feliciano apagou o post ontem e disse que deve ter ido atender o telefonema, pois não se lembrava da cena”, disparou o âncora.

Por meio de uma nota lida pelo jornalista, o Globoplay declarou estar atento às críticas ao filme de Danilo Gentili, mas entende que a suspensão do longa como censura e que por isso não irá cumprir decisão.

“A decisão ofende o princípio da liberdade de expressão, é inconstitucional e, portanto, não pode ser cumprida”, ressaltou Tralli.

Danilo Gentili solta o verbo contra acusações

Gentili decidiu novamente se pronunciar contra a acusação de apologia à pedofilia com o seu filme. A produção, que está no catálogo da Netflix, tem sido criticada por muitos internautas, principalmente bolsonaristas.

Ao Splash, o apresentador do The Noite, do SBT, garantiu que tem orgulho de “conseguir desagradar com a mesma intensidade tanto petista quanto bolsonarista” e defendeu a mensagem do longa-metragem.

“O propósito é óbvio: retratar o vilão como hipócrita e pedófilo”, disparou o humorista. “Repito: o vilão. A frase que resume tanto o livro quanto o filme é ‘questione antes de obedecer’. O vilão do filme que comete esse ato abjeto é uma sátira aos que posam de moralistas e politicamente corretos em público mas que escondido fazem essas coisas horríveis”, desabafou.

Ele ainda comentou: “O recado da cena é que não importa a sua idade, você deve sempre questionar antes de obedecer uma ordem. Se não tivessem cortado propositadamente a cena antes de compartilhar, daria para perceber com clareza”.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui
Luiz Fábio Almeida
Escrito por

Luiz Fábio Almeida

Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É editor-chefe e colunista do RD1, onde escreve sobre TV, Audiências da TV e Streaming. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email [email protected]