Globoplay deve atender pedido de assinantes envolvendo Vale a Pena Ver de Novo

Globoplay
Erick Brêtas, diretor de Produtos e Serviços Digitais do Grupo Globo, falou à coluna sobre pedidos dos noveleiros relacionados ao Globoplay (Imagem: Ramón Vasconcelos / Globo)

É fato: com o resgate de clássicos da dramaturgia da Globo, o Globoplay tornou-se o queridinho dos noveleiros quando o assunto é streaming. A oferta de títulos – da histórica O Bem-Amado (1973) às tramas em exibição na TV –, porém, não é o suficiente para esta classe tão apaixonada e engajada…

A coluna Curto-Circuito conversou com Erick Brêtas, diretor de Produtos e Serviços Digitais do Grupo Globo, sobre uma reivindicação corriqueira nas redes sociais do serviço e do RD1: a troca das versões do Vale a Pena Ver de Novo pela íntegra, de folhetins como O Rei do Gado (1996) e Por Amor (1997).

Estamos atentíssimos às demandas dos noveleiros. Eles querem versões originais das novelas do ‘VPVDN’ e muito mais: vinhetas de abertura e encerramento, opção de assistir em 4:3 ou 16:9, todos os títulos em 1080p etc. Nós vamos trabalhar em todas essas frentes, mas de maneira gradual”, afirmou Erick, prosseguindo:

Primeiro resolvemos o problema das novelas ingestadas em baixa resolução entre 2010 e 2011. Temos apenas dois títulos pendentes. A próxima etapa deve alternar o reingest de títulos em 720p e a recuperação total de algumas obras mais pedidas. Ainda não temos os detalhes”.

Não há, até o momento, datas previstas para tais alterações. “Quando esse planejamento estiver concluído, vamos divulgar nas redes do Globoplay“, concluiu Brêtas. De qualquer forma, a comunidade noveleira já agradece!

Vem aí

Cabocla
Vanessa Giácomo (Zuca) e Daniel de Oliveira (Luís Jerônimo) em Cabocla; folhetim estreia no Globoplay em abril (Imagem: Divulgação / Globo)

Erick Brêtas também confirmou as próximas novelas disponibilizadas pelo Globoplay. Cabocla (2004), atualização de Edmara e Edilene Barbosa para a obra do pai Benedito Ruy Barbosa, estreia em 12 de abril. Trata-se da história de amor de Zuca (Vanessa Giácomo) e Luís Jerônimo (Daniel de Oliveira), entremeada pela disputa política entre os coronéis Justino (Mauro Mendonça) e Boanerges (Tony Ramos).

Roda de Fogo (1986), assinada por Lauro César Muniz e Marcílio Moraes, ficou para o dia 26. No centro da narrativa está Renato Villar (Tarcísio Meira), líder de um grupo empresarial, com ambições políticas, que revê seus conceitos quando descobre estar à beira da morte. As mudanças na vida dela passam, inclusive, pela paixão por Lúcia Brandão (Bruna Lombardi), a juíza encarregada do processo em torno de suas ações.

Além-mar

A Globo Internacional conquistou na semana passada uma presença surpreendente entre os programas mais vistos da televisão por assinatura de Portugal. Três novelas da emissora, que foram ou também serão exibidas no Brasil, ocuparam as primeiras posições no ranking de audiência.

Em primeiro lugar, a reta final de A Força do Querer (2017) foi vista por 189 mil portugueses. Já Império (2014), que fará sua estreia por aqui no próximo mês, ocupou a segunda posição logo atrás, com 182 mil telespectadores. A saga de Tancinha (Mariana Ximenes) também é sucesso entre o público da terrinha, fazendo Haja Coração (2016) ser sintonizado por 131 mil televisores.

Na lista dos 20 programas mais vistos da TV a cabo, a Globo liderou ainda com quatro outras atrações: Paraíso (2009), Cabocla, Aquele Beijo (2011) e Caminho das Índias (2009).

Menor dos problemas

Nos Tempos do Imperador
Selton Mello (Pedro II) em Nos Tempos do Imperador; novela das seis deve estrear toda gravada (Imagem: Paulo Belote / Globo)

Há grande possibilidade de Nos Tempos do Imperador estrear como obra fechada na Globo. A trama deverá retomar as gravações em abril, e há sinal verde para acelerar os trabalhos na medida em que for possível. A expectativa da equipe comandada por Vinicius Coimbra é entregar a novela totalmente finalizada até data de estreia, um tiro no escuro necessário nesse momento de pandemia.

O maior desafio por enquanto está com as cenas que envolvem a guerra do Paraguai (1864 e 1870), que a princípio mobilizariam centenas de figurantes. A equipe comandada pelo diretor Vinicius Coimbra cogita abusar da computação gráfica para reproduzir com segurança o maior conflito armado da América Latina.

Vida longa

Em fase de finalização dos 160 capítulos da provável próxima novela das 18h, os autores Alessandro Marson e Thereza Falcão renovaram recentemente os seus contratos com a Globo. O primeiro chegou a participar de um treinamento liderado pela autora Glória Perez para novos projetos para as 21h, como essa coluna adiantou em primeira mão em junho do ano passado.

Duh Secco e Luiz Fábio Almeida
A coluna Curto-Circuito é assinada por Duh Secco e Luiz Fábio Almeida, editores-assistentes do RD1 e reúne, de terça a sábado, logo cedinho, o que é e vai virar notícia nas próximas horas envolvendo os movimentados bastidores da TV.
Veja mais ›