Gloria Perez revela por que abriu arquivos para documentário sobre assassinato da filha

Gloria Perez
Gloria Perez contou sobre os documentos que autorizou para serem usados na produção (Imagem: Reprodução / Instagram)

Gloria Perez comentou sobre o documentário que a HBO Max está preparando sobre a história de sua filha, Daniella Perez. Em entrevista ao podcast Novela das 9, do Gshow, a autora revelou os motivos que a levaram a abrir seus arquivos pessoais.

Gloria alegou que só liberou porque a diretora Tatiana Issa, responsável pela produção, se comprometeu a ser fiel aos autos do processo que levaram à prisão de Guilherme de Pádua e da mulher dele à época, Paula Thomaz:

“Você não pode impedir que histórias públicas sejam contadas. Então, já que alguém, em algum momento, iria fazer essa história, prefiro que façam com esta seriedade, se atendo ao que está no processo. Foi por isso que abri meu arquivo para eles. É um compromisso escrito e com autorização da Globo”.

A escritora ainda comentou sobre sua expectativa em relação à série. “Espero que faça justiça à minha filha“, disse, afirmando que não gostaria que a história fosse contada com atores: “Jamais admitiria. Essa história é para documentário“.

“Essas pessoas não foram condenadas à toa. Elas foram condenadas por homicídio duplamente qualificado porque existiram provas suficientes para que isso acontecesse. Só que essa narrativa nunca foi feita. Aliás, de uma maneira geral, ela nunca é feita em caso nenhum. Depois do julgamento, a imprensa não se interessa mais por aquele caso“, completou.

Vale lembrar que o documentário sobre o assassinato de Daniella Perez vai contar com um depoimento importante. Segundo informações da colunista Carla Bittencourt, do Metrópoles, a produtora e assessora artística Marcela Nunes foi convidada para o projeto.

A profissional, que é irmã do jogador Amaury Nunes e cunhada de Karina Bacchi, foi a última pessoa que viu Daniella com vida, antes de ser assassinada. De acordo com a publicação, como era fã da atriz, Marcela estava na porta dos estúdios da Tyconn, onde a novela De Corpo e Alma era gravada, e chegou a tirar uma foto da famosa momentos antes de sua morte.

“Eu tive a honra de ser convidada para participar por ter sido a última pessoa a vê-la com vida e tirar uma foto (sabendo lá no fundo que seria a última oportunidade), me sinto especial por isso. Sempre lembro de tudo como se fosse hoje e vem como um filme na minha memória”, contou Marcela à colunista.

A série vai ao ar em 2022, quando o crime completa 30 anos. Fábio Assunção, que estava no ar com a atriz na novela em 1992, também gravou recentemente sua participação no documentário, assim como a autora Gloria Perez, mãe de Daniella.

Outros nomes confirmados foram Raul Gazolla, marido de Daniella, além dos atores Claudia Raia, Cristiana Oliveira, Maurício Mattar, Claudia Mauro e Eri Johnson. O diretor Wolf Maia também teve seu depoimento colhido diretamente dos Estados Unidos.

MAIS LIDAS

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›