Gugu decidiu sair da Record uma semana antes de morrer

Gugu
Ex de Gugu fala sobre atrito entre apresentador e emissora (Imagem: Divulgação / Record)

Thiago Salvático fez afirmações bombásticas sobre a relação de Gugu Liberato (1959-2019) com a direção da Record. Segundo o chef de cozinha, o apresentador decidiu pedir demissão da emissora uma semana antes da sua morte, em novembro.

De acordo com o site Notícias da TV, o suposto companheiro do comunicador apresentou trechos de conversas de WhatsApp, no processo em que pede o reconhecimento de união estável com Gugu, onde os dois discutiram sobre a emissora.

Entre 13 e 16 de novembro, o famoso avisou o empresário sobre futuras reuniões marcadas com a direção do canal paulista, apontadas por ele como questões urgentes a serem solucionadas. Os advogados de Thiago afirmaram que “Gugu estava muito decepcionado com a sua carreira na Record”, pois o canal diminuiu drasticamente o salário na proposta de renovação para a temporada 2020.

“A emissora pretendia reduzir o seu salário a R$ 175 mil. Conversou muito com Thiago sobre esse assunto. Gugu já havia tomado a decisão de deixar a Record”, relatou um trecho da ação. Gugu era responsável pelo Power Couple e Canta Comigo. “Na Record está muito difícil. Quase impossível”, afirmou o loiro na troca de mensagens.

Ainda de acordo com a reportagem, a Record esclareceu que “por razões éticas e de sigilo jurídico ou contratual, jamais comenta negociações, acordos, pagamentos ou salários de seus contratados”.

Thiago Salvático mostrou no processo que a relação entre Gugu e Record era complicada desde a ocasião em que o então namorado deixou para trás o salário R$ 3,5 milhões após a decisão da emissora do bispo Edir Macedo de reduzir os seus vencimentos e a verba de produção do seu dominical. Em contrapartida, a direção ofereceu novos formatos, mais baratos, e o ex-SBT disse não.

Em junho de 2014, o paulista voltou para a mesa de negociações para o seu retorno à TV pela Record, com um acréscimo: um contrato de parceria com a sua produtora, a GPP. “Nessa época, Gugu estava mais animado com o andamento dos negócios, pois a GGP, sua produtora, havia fechado contrato de parceria com a rede de televisão Record para realizar gravações em seus estúdios”, recordou.

Em setembro do mesmo ano, segundo Thiago, o filho de dona Maria do Céu anunciou que voltaria à Record e pediu ajuda na escola do logotipo do seu novo programa, que estreou em fevereiro de 2015. A insatisfação com o canal de São Paulo voltou meses depois quando, em sua participação no Teleton, em outubro, Silvio Santos chamou o ex-aprendiz de volta, para um programa de quatro horas, aos sábados. Liberato pensou, mas recusou.

No ano seguinte, em 14 de março, Gugu disse que a atração estava em bom momento na audiência, mas péssimo em dinheiro. “Na GGP, fechamos fevereiro no vermelho”, contou, na época. Em 13 de setembro, uma nova queixa: “Não vejo a hora de sair daqui”. Em 2017, mesmo com a equipe demitida e o anúncio do fim do seu programa, o contratado do canal 7 optou pela renovação e seguiu como apresentador do reality de casais e do programa musical.

Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter e escreve semanalmente para a coluna Você Sabia?. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email paullocarvalho19@gmail.com.

WordPress Lightbox