Jessica Senra faz desabafo após decisão de juiz sobre estupro

Jessica Senra
Jessica Senra recorda desabafo na Globo (Imagem: Reprodução / Globo)

Jessica Senra compartilhou um desabafo feito pela própria jornalista durante o Bahia Meio Dia, telejornal local da Globo em Salvador, após a decisão de um juiz sobre o caso Mariana Ferrer. A âncora recordou um discurso feito em janeiro sobre como a polícia e a Justiça atuam no silenciamento de mulheres vítimas de estupro.

“Eu quero falar com você que está aí do outro lado, você que é mulher e você que é homem. Eu tenho certeza que você conhece uma mulher que já foi estuprada. Aliás, com certeza você conhece mais de uma. É bem possível que você não saiba. Sua amiga, sua irmã, sua colega de trabalho, foram estupradas”, afirmou.

“As mulheres que foram abusadas ou estupradas estão em todo o lugar. Poucas reúnem coragem para contar, para denunciar, a maioria silencia ou é silenciada. Quando a mulher vai na delegacia denunciar o estupro muitas perguntas de agentes e de delegados acabam sendo formas de silenciá-la, perguntando o que ela fez ou como ela se comportou para que aquilo acontecesse, ou tipificando mal o crime”, acusou.

“Quando a mulher vai ao DPT fazer o exame de corpo de delito, muitas vezes é novamente devassada, até pela característica do exame. Se ela teve a reação que a maioria teria de querer se lavar para se livrar do nojo da violência, ela vai ser desmentida. Se ela tem a reação possível de ter ficado imóvel durante o estupro por medo de ser agredida ou porque estava dormindo, a falta de marcas de violência vai fazê-la ser desmentida”, lamentou

“Se ela estava desacordada, porque foi drogada, porque bebeu demais, ela vai ser desmentida. Se o estupro foi cometido por alguém com dinheiro, com fama, com relacionamentos poderosos, ela vai ser desmentida. Se ela estiver confusa por causa do trauma sofrido, não souber relatar os detalhes do que houve, ela vai ser desmentida”, ressaltou Senra.

“E em qualquer dos casos, ela vai ser julgada, ela vai ser questionada, ela vai ser até acusada de ser culpada. Se por milagre nada disso acontecer, ela provavelmente vai ser estigmatizada: ‘Aquela que foi estuprada’. Tudo isso, minha gente, faz com o que a gente silencie”, finalizou.

Confira:

Paulo CarvalhoPaulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email paullocarvalho19@gmail.com.
Veja mais ›