Leão Lobo revela que morte de Elis Regina “o intriga até hoje” e dá detalhes

Leão Lobo
Leão Lobo faz revelação sobre amizade com Elis Regina (Imagem: Reprodução / Instagram)

Leão Lobo surpreendeu ao revelar que foi muito amigo de Elis Regina (1945-1982) e que não aceita a morte da cantora, aos 36 anos, em 1982. A revelação foi feita em conversa com a colunista do jornal O Dia, Fábia Oliveira.

De acordo com as informações, a cantora foi encontrada desacordada em casa pelo namorado Samuel MacDowell e morreu em seguida. O laudo do Instituto Médico Legal apontou que a causa da morte teria sido intoxicação por cocaína e álcool.

“Eu fui entrevistá-la uma vez e nós acabamos ficando muito amigos desde então. Era amigo de frequentar os camarins dos shows dela e de sair para jantar”, garantiu o apresentador.

Leão ainda ressaltou: “Uma vez, durante um desses jantares, ofereceram uma cervejinha e ela recusou. Elis disse que se tomasse a cerveja ficaria péssima e trocou a bebida por um suco ou refrigerante, não me lembro direito”.

“Mas, isso me deixa perplexo e me intriga até hoje. Como um ano e meio depois, uma pessoa que não bebia, morre como uma alcoólatra e drogada? Não entendo”, finalizou o jornalista.

Recentemente, inclusive, o famoso deixou claro que não faz questão de esconder nada sobre sua vida, mesmo que seja algo relacionado à sua sexualidade. Assumidamente gay, o apresentador foi convidado por Ed Gama e Estevam Nabote para contar histórias pessoais interessantes.

Durante o bate-papo, o veterano relembrou detalhes de quando fez sexo grupal no meio da rua, em São Paulo. “Um dia eu saí de um espetáculo, fui para um restaurante, bastante conhecido por ser frequentado por muitos artistas. Quando acabei de jantar, um menino, que estava me observando desde quando cheguei, me aguardava para pegar um autógrafo. Eu dei e saí“, começou.

“Nisso, de madrugada, atravessei a Praça Roosevelt, em São Paulo, e conheci dois garotos, bonitos e tal. Após uma breve conversa ficamos no ‘vamos transar’, ‘vamos transar’, ‘mas você tem lugar?’, e aí decidimos fazer por ali mesmo”, disse, para em seguida revelar que a aventura aconteceu em 1979, após uma apresentação onde atualmente é o Teatro Bibi Ferreira.

O apresentador ainda explicou que escolheu uma rua bem escura, próximo da famosa praça, para ter relação com os jovens. “Aí, tinha uma rua escura, chamada Epitácio Pessoa. Foi ali mesmo que eu sentei na escadaria de um restaurante, que já estava fechado, e comecei a dar uns tratos nos meninos. Peguei [um pênis] de um lado, outro [pênis] de outro lado e fomos seguindo…”.

Segundo ele, porém, outra pessoa surgiu no momento “quente”: “De repente, eu levanto a cabeça, tava com o ‘negócio’ de um na boca, e quando olho, tinha uma pessoa me olhando. Quando olhei bem, percebi que era o tal do menino que tinha me pedido o autógrafo“.

MAIS LIDAS

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›