Novelas
Romulo Estrela (Marcos), Antonio Fagundes (Alberto) e Fabiula Nascimento (Nana) em Bom Sucesso; novelas exaltam literatura (Imagem: Victor Pollak / Globo)

2019 levou a literatura para a tela da Globo, através das citações de Bom Sucesso e da adaptação de Éramos Seis, baseada na obra de Maria José Dupré – a partir da versão de Rubens Ewald Filho e Silvio de Abreu já gravada por Tupi e SBT. Os livros, porém, estão ligados à emissora desde os primórdios. O RD1 preparou uma lista com algumas novelas baseadas em clássicos literários.

Novelas
Lucélia Santos e Edwin Luisi, como Isaura e Álvaro, em Escrava Isaura (Imagem: Divulgação / Globo)

Escrava Isaura

A novela é, talvez, o maior exemplo de livro que ganhou vida na TV. Produzida duas vezes, por Globo e Record, Isaura foi sucesso absoluto em ambos os casos. Na primeira, a adaptação de Gilberto Braga para o romance de Bernardo Guimarães rendeu fama internacional para Lucélia Santos. A trama de 1976, integrante do núcleo literário das 18h, foi recordista de vendas para o mercado externos por anos…

Novelas
Betty Faria como Tieta, papel-título da novela de 1989 (Imagem: Divulgação / Globo)

Tieta

É possível ainda lembrar de obras importantes da literatura nacional que ganharam suas versões folhetinescas, como é o caso de Tieta, um dos maiores sucessos da TV brasileira no período pós-censura do regime militar. Exibida entre 1989 e 1990, a obra de Jorge Amado com adaptação de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares, bateu recordes de audiência no horário das 20h.

Novelas
Sônia Braga, destaque com Gabriela, da obra de Jorge Amado (Imagem: Divulgação / Globo)

Gabriela

Além de Tieta, podemos citar ainda Gabriela, também de Jorge Amado. Sucesso duas vezes, em 1975 e 2012. Na primeira, consagrou Sônia Braga e a elevou de status a ponto da atriz construir carreira internacional; mais recentemente, foi interpretada por Juliana Paes. A novela tem a icônica cena em que a protagonista sobe no telhado para pegar uma pipa e leva os homens da Ilhéus à loucura.

Novelas
Eva Wilma, como Laura, em Ciranda de Pedra (Imagem: Divulgação / Globo)

Ciranda de Pedra

Ciranda de Pedra foi produzida originalmente em 1981 e se baseava na obra de Lygia Mendes Telles. O folhetim ganhou um remake em 2008, tendo a assinatura de Alcides Nogueira. Na primeira versão, Eva Wilma e Lucélia Santos responderam por Laura e Virgínia, mãe e filha em relações conflituosas com o restante da família; na segunda, tais papéis ficaram com Ana Paula Arósio e Tammy Di Calafiori.

Novelas
Eduardo Moscovis e Adriana Esteves, como Petruchio e Catarina, em O Cravo e a Rosa (Imagem: Divulgação / Globo)

O Cravo e a Rosa

Outra novela que se tornou icônica, e que teve como base uma obra da literatura, foi O Cravo e a Rosa. A primeira novela de Walcyr Carrasco na Globo, exibida em 2000, não foi tão original assim… A obra utilizou como alicerce um clássico de William Shakespeare, A Megera Domada. E também elementos da adaptação da mesma comédia por Ivani Ribeiro na Tupi, O Machão (1974).

Novelas
Bruna Marquezine como Helena, na primeira fase de Em Família (Imagem: Divulgação / Globo)

Em Família

Pouca gente notou, mas a base da primeira fase da novela mais recentes de Manoel Carlos às 21h, Em Família, teve por base um livro brasileiro. A forte amizade entre dois homens e uma mulher, e o ciúme doentio de um deles, conforme a novela mostrava, compõem a base de um dos principais livros de nossa literatura, Dom Casmurro, de Machado de Assis, que também rendeu a minissérie Capitu (2008).

Novelas
Thiago Lacerda e Nathalia Dill, como Darcy e Elisabeta, em Orgulho e Paixão (Imagem: Divulgação/TV Globo)

Orgulho e Paixão

Em 2018, o autor Marcos Bernstein reuniu clássicos de Jane Austen e criou Orgulho e Paixão. A novela, um dos sucessos do horário das 18h, trouxe as irmãs Benedito, para quem a mãe Ofélia (Vera Holtz) sempre arrumava casamentos. Elisabeta (Nathalia Dill) pretendia fugir desse destino, partindo para conhecer o mundo; acabou, porém, apaixonada pelo engenheiro Darcy (Thiago Lacerda).

Novelas
Jandir Ferrari (Carlos), Tarcísio Filho (Alfredo), Luciana Braga (Isabel), Othon Bastos (Júlio), Irene Ravache (Lola) e Leonardo Brício (Julinho) em Éramos Seis (Imagem: Divulgação / SBT)

Éramos Seis

E como esquecer de Éramos Seis? Um dos maiores fenômenos da dramaturgia fora da Globo, a novela foi exibida pela Tupi em 1977 e pelo SBT em 1994. Dona Lola, protagonista do livro de Maria José Dupré, marcou a carreira de suas intérpretes Nicette Bruno e Irene Ravache. Gloria Pires responde pela matriarca da família Lemos na versão da Globo, no ar desde setembro.

Novelas
Victor Wagner e Taís Araújo, como João Fernandes e Xica, em Xica da Silva (Imagem: Divulgação / Manchete)

Xica da Silva

Sob o pseudônimo Adamo Angel, Walcyr Carrasco assinou esta novela lançada pela Manchete em 1996. Taís Araújo vivia a protagonista, escrava que se tornou rainha. Xica foi uma personagem real, com a trajetória recontada em uma biografia que serviu de base para a produção: Xica Que Manda, de Agripa Vasconcellos. O escritor também respondeu por A Vida em Flor de Dona Beija, base de Dona Beija (1986).

Novelas
Christine Fernandes, como Aurélia, em Essas Mulheres (Imagem: Divulgação / Record)

Essas Mulheres

A novela foi ao ar em 2005 na Record, escrita por Marcílio Moraes e Rosane Lima. A trama tinha por base três livros nacionais: Senhora, Lucíola e Diva, todos escritos por um dos ícones da clássica literatura nacional, José de Alencar. Christine Fernandes (Aurélia), Carla Cabral (Maria da Glória / Lúcia) e Miriam Freeland (Mila) responderam pelas protagonistas do livro na telinha.

Você está ficando de fora...

Não perca nada!

Saiba tudo o que está em alta no Instagram dos Famosos.

SIGA AGORA