Ludmilla abre o jogo sobre falta de posicionamento nas redes sociais e desabafa

Ludmilla
Ludmilla ainda falou sobre a polêmica com o Prêmio Multishow (Imagem: Reprodução / Instagram)

Alvo de algumas críticas por preferir não se posicionar sobre alguns assuntos, Ludmilla explicou a razão de não fazer “textão” na web com frequência.

Em conversa com a coluna de Leo Dias, do Metrópoles, a artista explicou: “Eu tenho vivência nessas bandeiras, então não preciso ficar publicando sobre elas, porque já vivo elas, eu vivo isso o tempo inteiro”.

Casada com Brunna Gonçalves, a funkeira ainda pontuou: “Inclusive, sinto a leveza e o peso de ser uma mulher gay, no cenário musical brasileiro nos dias de hoje”.

“Essa é uma necessidade que eu não sinto. De ficar fazendo textão, porque essa já é uma vivência minha. Acho que é por isso que muita gente não entende, eu não estar fazendo textão, manifestações”, explicou a famosa, que ainda disse:

“Eu ja estou vivendo aquilo. O meu Instagram é a minha vida. Eu já sou casada com a minha mulher, eu já vou postar naturalmente ela ali”.

Apesar de pensar dessa forma, Ludmilla não deixou de se posicionar quando não foi nomeada nas categorias do Prêmio Multishow 2021. Na entrevista, a cantora explicou a razão de declarar, no Twitter, que não iria se apresentar no evento.

“Já vinha um tempo que eu vinha insatisfeita e não achando algumas coisas que eles faziam certa”, disse a artista, que afirmou que não queria participar por estar em uma “cota”.

“Respeito todas as pessoas que estão lá, mas eu também merecia, pelos meus números, pelos meus lançamentos, por tudo que eu fiz esse ano“, disparou.

Ludmilla ficou “p” da vida com o Multishow

Para quem não sabe, em outubro, após serem reveladas as indicações para categoria Cantora do Ano, a artista soltou o verbo no Twitter:

“Venho por meio desse tweet avisar a todos e ao Multishow que não me apresentarei mais no prêmio esse ano. Obrigada pelo convite, mas onde não sou bem vinda prefiro não estar só por educação. Boa festa a todos. É nítida a falta de reconhecimento e entendimento das (poucas) premiações que temos aqui no Brasil. Assim como eu, vários artistas de vários segmentos e bandeiras que mereciam ser indicados ou serem reconhecidos da mesma forma que entregam conteúdos para seus públicos”.

Sou a primeira cantora negra da América Latina a acumular 1 bilhão de streams só no Spotify, hoje são mais de 1.5 bilhão de plays nas plataformas. Meus clipes somam 2.5 bilhões de views. ‘Rainha da Favela’ ficou meses entre as músicas mais tocadas. São os números que falam. Só esse ano, lancei o ‘Numanice ao vivo’, projeto que impactou a cultura brasileira e revolucionou o mercado do pagode de um jeito jamais visto, por ser uma mulher à frente do projeto, projeto que garantiu o vídeo musical solo mais visto de 2021 por uma cantora pop brasileira. ‘Deixa de Onda’, ‘Pra Te Machucar’, ‘Gato Siamês’, ‘Apê 1001’, o ‘Lud Session’ então nem se fala, tá na boca do povo“, continuou.

“Desde quando ganhei a primeira vez e impactei todo o sistema por ser a primeira cantora negra a ser indicada e a vencer essa categoria em 26 anos de prêmio, uma representante das minorias, uma cantora negra, bissexual, funkeira, periférica, nunca mais fui indicada na categoria ‘Cantora do Ano'”, finalizou.

Veja:

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

Gostou do conteúdo? Siga @rd1oficial no Instagram e RD1.com.br no Facebook para acompanhar as últimas notícias dos famosos.

MAIS LIDAS

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›