Lula declara que em seu governo manteve boas relações com Globo, SBT e Record

Lula
Lula comentou sobre a boa relação que tinha com as emissoras de TV (Imagem: Reprodução / YouTube)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deu entrevista para o jornalista Reinaldo Azevedo, ao vivo, na BandNews, nesta quinta-feira (1º). Na conversa, o petista comentou que sempre apoiou a imprensa, mesmo sofrendo com as críticas.

O ex-presidente, então, garantiu que manteve boas relações com os donos das principais emissoras de televisão do país.

“Tem gente que fala que o PT é contra a liberdade de imprensa. Eu fui durante oito anos presidente da República desse país e mantive relações estreitas com o Johnny Saad, da Bandeirantes, com o Edir Macedo, da Record, com Silvio Santos, do SBT, mantive com a família Marinho (da Globo)”, declarou o político.

Reinaldo Azevedo concordou que nunca sofreu qualquer censura por criticar o Partido dos Trabalhadores: “Eu fui um duro crítico do PT durante treze anos, muito duro, e eu nunca perdi nenhum emprego por causa disso. Mas a Lava Jato / Bolsonaro me tiraram três. Só que eu continuo aqui”

Inclusive, antes da entrevista, o jornalista anunciou a conversa e lembrou que foi um dos maiores críticos do PT na época em que o país era comandado por Lula e pela ex-presidente Dilma Rousseff. “Eu combati o PT durante 13 anos no poder e muito antes disso. O termo ‘petralha’ eu criei antes”, disse.

“O PT estava no poder em Santo André quando eu criei o petralha, que é aquele que rouba o dinheiro para justificar um projeto de poder. Eu identifiquei isso lá em Santo André e foi aí criei o termo: uma mistura de PT com Irmãos Metralha”, recordou.

Recentemente, Lula citou o Jornal Nacional, da Globo, em discurso, na sede do sindicato dos metalúrgicos, após o ministro do STF Edson Fachin anular todas as condenações dele pela Justiça Federal do Paraná no âmbito da Operação Lava-Jato.

Crítico da Globo, o petista classificou como “épica” a edição do telejornal. Ele fez referência à cobertura do julgamento no STF (Supremo Tribunal Federal) de suspeição do ex-juiz Sergio Moro. A Segunda Turma da corte analisou a atuação do ex-ministro durante o processo que condenou o petista por receber um tríplex no Guarujá como propina.

“Fiquei muito feliz porque depois da divulgação de tanta mentira contra mim, ontem acho que nós tivemos um Jornal Nacional épico. Acho que quem assistiu televisão não estava acreditando no que estava vendo”, começou o político.

Lula seguiu: “Pela primeira vez a verdade prevaleceu. Dita não por alguém do PT, dita pelo presidente da Segunda Turma do STF, no discurso do Gilmar Mendes, dita pelo Ricardo Lewandowski, e dita até pela Cármen Lúcia que nunca tinha visto nada igual aquilo”.

O ex-presidente ainda comentou: “Espero que a verdade versada pela Globo ontem seja o novo padrão de comportamento da Globo com a verdade. A Globo não tem que gostar ou não gostar de presidente, de partido. Isso ela decide na hora de votar, mas na hora de informar ela tem que informar a verdade e apenas somente a verdade”.

Fábio AlmeidaFábio Almeida
Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e responsável pela coluna "Do Fundo do Baú", publicada às quintas-feiras no RD1, com conteúdos marcantes da história da TV brasileira. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email luizfabio@rd1audiencia.com
Veja mais ›