Mãe de Paulo Gustavo se pronuncia após pastor ser condenado por homofobia

Paulo Gustavo
Mãe de Paulo Gustavo comentou sobre atitude contra da Justiça contra pastor em defesa do humorista (Imagem: Reprodução / Instagram)

A mãe de Paulo Gustavo, Déa Lúcia, usou seu perfil no Instagram nesta quarta-feira (27) para comentar sobre a condenação, pelo Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL), do pastor José Olímpio pelo crime de homofobia praticado contra seu filho.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade

A polêmica teve início quando, em abril do ano passado, o líder religioso afirmou estar “orando pela morte do ator”, que lutava contra complicações do novo coronavírus. O humorista morreu no dia 4 de maio de 2021, aos 42 anos.

“Ele orou pela morte de meu filho e eu rezo para que ele viva bastante para se arrepender de seus pecados”, escreveu Déa na rede social.

publicidade

Veja Também

Nos comentários da postagem, vários famosos aprovaram a decisão da Justiça. Regina Casé comentou: “Minha amiga tão querida… Que o amor de sua filha, seus netos, amigos e amores seja um escudo para toda essa maldade! Para você todo meu carinho e amor!”.

“Déa querida, receba todo meu amor, estarei sempre aqui para vocês”, postou Katiuscia Canoro. “Bem feito. A justiça divina é a que importa. Te amo, Déa”, comentou Ingrid Guimarães. “Muito bom ver a justiça acontecer!”, escreveu Malu Valle.

“Dona Déa, que Deus te proteja sempre. A sua força e da Ju Amaral são inacreditáveis!”, postou Tatá Werneck.

A decisão da Justiça contra o pastor

A Justiça de Alagoas bateu o martelo e condenou pelo crime de racismo o pastor José Olímpio, da Igreja Assembleia de Deus.

publicidade

Segundo informações do G1, no processo, o pastor alegou que não fez qualquer referência à orientação sexual de Paulo Gustavo nem desejou a morte do ator. O religioso vai poder recorrer em liberdade.

Na decisão, o juiz Ygor Vieira de Figueirêdo declarou que a conduta preconceituosa do pastor foi feita diante da orientação sexual do artista. Desde 2019 a Justiça brasileira equipara a homofobia ao crime de racismo.

“No caso em apreço, diante das evidências existentes nos autos, da foto escolhida para a postagem e do reconhecimento nacional do qual gozava o ator, inclusive por seu engajamento na pauta da comunidade LGBQTIA+, o tom discriminatório é cristalino, motivo pelo qual resta demonstrada que a conduta preconceituosa foi feita em virtude da orientação sexual do senhor Paulo Gustavo”, diz o magistrado.

publicidade

A pena de reclusão de 2 anos e 9 meses de prisão, inicialmente em regime aberto, foi convertida em prestação de serviços à comunidade. Ainda no processo, a defesa de Olímpio afirmou que o processo era fruto de um mal entendido.

publicidade

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Luiz Fábio AlmeidaLuiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email luizfabio@rd1.com.br