Manoel Soares conta nos mínimos detalhes passado sofrido no sul do país

Manoel Soares
Manoel Soares revela passado difícil durante entrevista (Imagem: Reprodução / Globo)

Manoel Soares é o mais novo apresentador do Encontro, da Globo. Dividindo o programa com Patrícia Poeta, o jornalista não imaginava que sua vida do passado iria se transformar completamente e para melhor.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade

O apresentador já viveu em situação de rua e recordou, em entrevista ao Conversa com Bial, sobre o momento em que a vida mudou. “Minha mãe me mandou para Porto Alegre (RS) para trabalhar com o meu tio em uma gráfica. Trabalhei nessa gráfica durante mais ou menos uns onze meses”, iniciou.

“Quando a gráfica faliu, tentei vários empregos e, nesse caminho todo, acabo vivendo em situação de rua”, disse.

publicidade

Veja Também

Sem dinheiro para se manter, Manoel passou a ser segurança de travestis. “Esse momento foi importante, foi quando comecei o caminho para vencer a minha homofobia, que acho que ainda não está vencida. Mas eu morria de medo da proximidade com essas pessoas, que homofobia para mim é isso, só medo. Conforme comecei a trabalhar com aquelas pessoas de noite, desenvolveram-se relações de afeto, ganhava abraços e beijos, e aqueles corpos deixaram de ser estranhos”, relembrou.

Manoel Soares destaca outras vivências

Manoel, no entanto, descartou a possibilidade de virar famoso e esquecer seu passado. Pelo contrário, para o jornalista, é necessário conhecer a vivência atual de vários locais para ter experiência na mídia.

“Eu estudo as pessoas. Ao mesmo tempo que estou lendo as pesquisas do Dieese [Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos], vou à feira de Paraisópolis de manhã, vou cortar o cabelo em Heliópolis para saber o que as pessoas estão sentindo, se o corte blindado ainda está ativo”, destacou.

“Não quero, por conta da visibilidade que obviamente vai ficar cada vez mais intensificada, deixar de ir na 25 de Março, andar, sentar com as pessoas. Às vezes sentar com a galera que está lá na Praça da Sé, muitas vezes consumindo entorpecentes, para saber o que está acontecendo, como eles estão sendo tratados, tudo isso faz parte”, frisou.

publicidade

Por fim, ele explicou como iniciou na televisão. “Comecei em serviço braçal na TV. Então conseguir acumular experiência, ouvir todos os colegas e trazer todas essas informações para a frente do vídeo, se conectar com as pessoas pela manhã, faz uma diferença muito grande”, finalizou.

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

publicidade

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Brenda VianaBrenda Viana
Brenda Viana é formada em Jornalismo e Rádio & TV. Apaixonada pelo mundo da moda e televisão. Reality show é o seu ponto fraco. Pode ser encontrada nas redes sociais por @brenda_viannaf.